Visão geral do gcloud


Esta página contém uma visão geral da ferramenta de linha de comando gcloud, os padrões de comando comuns e as peculiaridades dela.

O que é o gcloud?

gcloud é uma ferramenta que fornece a interface de linha de comando principal para o Google Cloud Platform. Você pode usar essa ferramenta para realizar muitas tarefas de plataforma comuns pela linha de comando ou em scripts e outras automações.

Por exemplo, você pode usar o gcloud para criar e gerenciar o seguinte:

  • instâncias de máquina virtual do Google Compute Engine e outros recursos
  • instâncias do Google Cloud SQL
  • clusters do Google Kubernetes Engine
  • clusters e jobs do Google Cloud Dataproc
  • zonas gerenciadas DNS e conjuntos de registros do Google Cloud
  • implantações do administrador do Google Cloud Deployment

Você também pode usar o gcloud para implantar aplicativos do App Engine e realizar outras tarefas. Leia a Referência do gcloud para saber mais sobre os recursos dessa ferramenta.

gcloud e o SDK

gcloud faz parte do Google Cloud SDK. Você precisa fazer o download e instalar o SDK no seu sistema e inicializá-lo para usar o gcloud.

Por padrão, o SDK instala esses comandos do gcloud que estão apenas nos níveis de disponibilidade geral e visualização. Há funcionalidades adicionais disponíveis nos componentes do SDK denominados alpha e beta. Esses componentes permitem usar o gcloud para trabalhar com Google Cloud Bigtable, o Google Cloud Dataflow e outras partes do Cloud Platform em níveis da versão anterior à de disponibilidade geral.

As versões do gcloud têm o mesmo número da versão do SDK. A versão atual do SDK é 185.0.0. Faça o download e a instalação de versões anteriores do SDK a partir do arquivo de downloads.

Download do gcloud

Você pode fazer o download da versão mais recente do Cloud SDK, que inclui o gcloud, pela página de download.

Níveis da versão

Os comandos do gcloud têm os seguintes níveis da versão:

Nível da versão Rótulo Descrição
Disponibilidade geral Nenhum Os comandos são considerados totalmente estáveis e disponíveis para uso da produção. Qualquer comando que interrompa a funcionalidade atual está sujeito a uma política formal de suspensão de uso e é documentado nas notas da versão.
Beta beta Os comandos estão funcionalmente completos, mas ainda têm alguns problemas pendentes. Não cobertos por nenhum contrato de nível de serviço (SLA, na sigla em inglês).
Alfa alpha Os comandos estão na versão inicial e podem mudar sem aviso. Não cobertos por SLA.
Visualização preview Os comandos podem ser instáveis e mudar sem aviso. Não cobertos por SLA.

Os componentes alpha e beta não são instalados por padrão quando você instala o SDK. É preciso instalá-los separadamente com o comando gcloud components install. Caso você tente executar um comando Alfa ou Beta e o componente correspondente não estiver instalado, o gcloud solicitará a instalação.

Grupos de comandos

Dentro de cada nível da versão, os comandos do gcloud são organizados em uma hierarquia aninhada de grupos de comandos. Cada um desses grupos representa um produto ou um recurso do Cloud Platform ou os respectivos subgrupos funcionais.

Por exemplo:

Grupo de comandos Descrição
gcloud compute Comandos relacionados ao Compute Engine em disponibilidade geral
gcloud compute instances Comandos relacionados a instâncias do Compute Engine em disponibilidade geral
gcloud beta compute Comandos relacionados ao Compute Engine em Beta
gcloud alpha app Comandos relacionados ao gerenciamento de implantações do App Engine em Alfa

Execução de comandos do gcloud

Você pode executar comandos do gcloud pela linha de comando da mesma maneira que usa outras ferramentas de linha de comando. Você também pode executar comandos do gclouddentro de scripts e outras automações. Por exemplo, ao usar o Jenkins para automatizar tarefas do Cloud Platform.

Propriedades

As propriedades do gcloud são configurações que afetam o comportamento do gcloud e de outras ferramentas do Cloud SDK. Algumas dessas propriedades podem ser definidas por sinalizações globais ou de comando. Nesse caso, o valor definido pela sinalização tem precedência.

Encontre uma lista de propriedades disponíveis neste link.

Configurações

Uma configuração é um conjunto nomeado de propriedades do gcloud. Essencialmente, elas funcionam como um “perfil”.

Ao começar a usar o Cloud SDK, você trabalhará com uma única configuração chamada default e poderá definir propriedades com gcloud init ou gcloud config set. Essa configuração padrão única é adequada para a maioria dos casos de uso.

Se quiser trabalhar com vários projetos ou contas de autorização, você poderá definir várias configurações com gcloud config configurations create e alternar entre elas quando preciso.

Para ver uma descrição detalhada desses conceitos, confira estas explorações de configurações e o gerenciamento delas.

Sinalizações globais

Com o gcloud, você tem um conjunto de sinalizações globais que controlam o comportamento dos comandos a cada invocação. As sinalizações substituem todos os valores definidos em propriedades do SDK.

Sinalizações e argumentos posicionais

Tanto as sinalizações quanto os argumentos posicionais afetam a saída de um comando do gcloud, mas há uma diferença sutil entre os casos de uso de cada um. O argumento posicional é usado para definir uma entidade em que um comando opera. Já a sinalização é necessária para definir uma variação no comportamento de um comando.

Uso de stdout e stderr

A saída bem-sucedida dos comandos do gcloud é gravada em stdout. Todos os outros tipos de resposta, como solicitações, avisos e erros, são gravados em stderr. Observe que as gravações em stderr não são estáveis e não devem ser usadas novamente em scripts.

Solicitações de prompt ou confirmação

Para proteger você contra ações destrutivas não desejadas, o gcloud confirmará suas intenções antes de executar comandos como gcloud projects delete.

Você também verá uma solicitação de prompt quando usar gcloud compute instances create test-instance para criar uma instância de máquina virtual do Google Compute Engine, como “instância de teste”. Será necessário escolher uma zona para criar a instância.

Para desativar as solicitações, use a sinalização --quiet.

Supressão de solicitações, gravações no terminal e gerações de registro

A sinalização –quiet (ou -q) do gcloud desabilita todas as solicitações interativas ao executar comandos do gcloud e é útil na criação de scripts. Caso uma entrada seja necessária, serão utilizados os padrões. Se não houver nenhum padrão, será exibido um erro.

Para suprimir a impressão da saída do comando para a saída e o erro padrão no terminal, use a sinalização --no-user-output-enabled.

Para ajustar o nível de detalhamento dos registros, use a sinalização --verbosity e defina o nível apropriado.

Determinar a estrutura da saída

Por padrão, quando um comando do gcloud retorna uma lista de recursos, eles têm o estilo de formatação da saída padrão. Para produzir resultados mais significativos, as sinalizações de formato, filtro e projeção permitem que você ajuste a saída.

Se você quiser definir apenas o formato da sua saída, use a sinalização --format para produzir uma versão tabulada ou nivelada (para exibição interativa) ou uma versão legível por máquina (jsoncsvyamlvalue).

Para formatar uma lista de chaves que selecionam valores de dados de recursos, use projections. Para refinar ainda mais sua saída por um critério definido por você, use filter.

Próximas etapas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s