Em dia de mobilizações, bases da FNP e Sindipetro-RJ exigem ACT digno


Fonte Sindipetro-RJ

Em um dia de paralisações, atrasos e cortes de rendição, petroleiros e petroleiras de todas as bases da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) mostraram seu descontentamento com a inoperância da direção da Petrobrás em negociar um ACT digno.

Nesta quarta-feira (3), em diversas unidades operacionais, petroleiros cruzaram os braços realizando atrasos e cortes em terminais importantes do sistema Petrobrás, como TABG (Rio de Janeiro), RPBC (Cubatão-SP) e Terminal de Belém-PA.

Também foram realizados atrasos com assembleias no Porto de Maceió e TEBIG (Angra dos Reis-RJ), entre outras unidades.

As mobilizações são parte da luta por um ACT digno, sem perdas de direitos, em defesa da Petrobrás, pela retomada dos investimentos e dos empregos.

“Lutamos contra os ataques aos direitos dos trabalhadores, em seu conjunto, e aqui na Petrobrás não será diferente. Aqui os petroleiros têm que fazer a sua movimentação. Temos que defender os investimentos na Petrobrás para que retomemos o emprego e a dignidade. Temos que continuar lutando contra a perda de direitos”, afirmou Vinícius Camargo, da direção do Sindipetro-RJ, durante o ato no Edisen.

As bases operacionais do Litoral Paulista fizeram atrasos e mobilizações também pela manhã. O Sindipetro-LP está em suas bases desde terça-feira (2), conversando com os trabalhadores, e realizou uma assembleia nesta quarta, às 18 horas, em que rejeitaram a nova minuta da empresa e aprovaram manutenção do estado de greve.

Também nas unidades de Bases Urucu, TA Belém e São Luís, Prédios Manaus e Belém, área de abrangência do  Sindipetro PA/AM/MA/AP,  a minuta foi rejeitada e aprovada a continuidade do estado de greve.

FNP avalia próximos passos

O objetivo da Federação é avaliar a nova minuta do ACT enviada no último dia 28 de dezembro. Mas a FNP mantém o indicativo de rejeição e grande parte das assembleias realizadas neste dia 3 de janeiro ratificaram exatamente essa posição. A maioria das bases da FNP não aceitaram a proposta e estão avaliando os próximos passos. FNP e Colegiado do Sindipetro-RJ reúnem-se na segunda-feira (8). A  Petrobrás informou que prorrogou o ACT atual também para a próxima segunda-feira (8). Além disso, a FNP exige uma reunião com a Presidência/Diretoria Executiva da Petrobrás.

O que fica claro até o momento é que a direção da Petrobrás não mostra nenhum interesse em resolver o impasse.

Enquanto isso, Parente anuncia bilhões de dólares a acionistas estrangeiros 

É inadmissível que a direção da Petrobrás, durante esse período de negociação do ACT, desde setembro, faça uso de um discurso de retirada de direitos, possíveis demissões em massa, cortes de benefícios e um ridículo reajuste de 1,73% nos salários. Além disso,  agora a companhia anuncia um acordo lesivo ao seu patrimônio para o pagamento de US$2,95 bi em um processo coletivo movido por seus acionistas de Wall Street nos EUA.

O tal acordo precisa ainda ser aprovado pelo juiz da Corte Federal de Nova York e visa encerrar, segundo alegações da direção da Petrobrás, todas as ações em curso e que ainda poderiam ser apresentadas nos EUA em referência aos fatos investigados pela Operação Lava-Jato.

Confira alguns resultados das assembleias

Assembleia na unidade de Pilar-AL rejeita proposta da Petrobrás e decide pela mobilização, após avaliar o quadro nacional. Fica mantido o estado de GREVE.

 

Por volta das 10 horas desta quarta, trabalhadores do TABG – Ilha do Governador , Rio de Janeiro, votaram pela greve e manutenção da mobilização – turno, ADM, terceirizados.


 

No CENPES, os petroleiros concentraram-se na Praça das Bandeiras e em seguida realizaram assembleia na qual aprovaram o indicativo do Sindipetro-RJ, que foi de suspender a greve e rejeitar a proposta de ACT da Petrobrás, mas autorizar o sindicato a assinar o Acordo, caso não haja perspectiva de continuidade do movimento nas bases da FNP.

 

 

Anúncios