CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES – Custo Médio, PEPS, UEPS


Avaliação dos estoques

Avaliação dos estoques

ADMINISTRACAO

Não basta apenas manter um controle e planejamento dos estoques em termos de quantidade. O estoque de qualquer empresa deve ser avaliado, também, em termos de preço.

Métodos de Avaliação dos Estoques

Os métodos mais comuns são:

• Custo médio;

• Primeiro a entrar, primeiro a sair (PEPS);

• Último a entrar, primeiro a sair (UEPS).

Custo Médio

Este método, também chamado de método da média ponderada ou média móvel, baseia-se na aplicação dos custos médios em lugar dos custos efetivos. O método de avaliação do estoque ao custo médio é aceito pelo Fisco e usado amplamente.

Para ilustrar numericamente, suponha-se que uma empresa, no início do mês de outubro, possua um estoque (inicial) de 20 unidades de certa mercadoria avaliada a R$ 20 cada uma, ou seja, um total de R$ 400 de Estoque Inicial. A movimentação dessa empresa no período foi:

EI = 20 x 20 = 400

Data                                         Operação

5 de outubro                            Compra de 30 unidades a 30,00 cada

11 de outubro                          Venda de 10 unidades

17 de outubro                          Venda de 20 unidades

23 de outubro                          Compra de 30 unidades a 35,00

29 de outubro                          Venda de 10 unidades

Suponha as seguintes informações:

• As 10 unidades vendidas dia 11/outubro saíram do lote comprado dia 5/outubro;

• As 20 unidades vendidas dia 17/outubro saíram do estoque inicial.

As 20 unidades vendidas dia 29/outubro saíram do lote comprado dia 23/outubro.

Primeiro a entrar, primeiro a sair (PEPS) – as baixas sao contadas desde as 1as compras (as primeiras a sair vem das 1as a entrar)

Com base nesse critério, dá-se saída no custo da seguinte maneira: o primeiro que entra é o primeiro que sai (PEPS). À medida que ocorrem as vendas, vamos dando baixas no estoque a partir das primeiras compras, o que equivaleria ao raciocínio de que vendemos/compramos primeiro as primeiras unidades compradas/produzidas, ou seja, a primeira unidade a entrar no estoque é a primeira a ser utilizada no processo de produção o ou a ser vendida.

Dentro desse procedimento, o estoque é representado pelos mais recentes preços pagos apresentando, dessa forma, uma relação bastante significativa com o custo de reposição. Obviamente, com a adoção desse método, o efeito da flutuação dos preços sobre os resultados é significativo, as saídas são confrontadas com os custos mais antigos, sendo esta uma das principais razões pelas quais alguns contadores mostram-se contrários a esse método.

As vantagens do método são:

• Os itens usados são retirados do estoque e a baixa é dada nos controles de maneira lógica e sistemática;

• O resultado obtido espelha o custo real dos itens específicos usados nas saídas;

O movimento estabelecido para os materiais, de forma contínua e ordenada, representa uma condição necessária para o perfeito controle dos materiais, especialmente quando estes estão sujeitos a deterioração, decomposição, mudança de qualidade, etc.

Último a entrar, primeiro a sair (UEPS)

O UEPS (último a entrar, primeiro a sair) é um método de avaliar estoque muito discutido. O custo do estoque é determinado como se as unidades mais recentes adicionadas ao estoque (últimas a entrar) fossem as primeiras unidades vendidas (saídas) (primeiro a sair). Supõe-se, portanto, que o estoque final consiste nas unidades mais antigas e é avaliado ao custo destas unidades.

Segue-se que, de acordo com o método UEPS, o custo dos itens vendidos/saídos tende a refletir o custo dos itens mais recentemente comprados (comprados ou produzidos, e assim, os preços mais recentes). Também permite reduzir os lucros líquidos relatados por uma importância que, se colocada à disposição dos acionistas, poderia prejudicar as operações futuras da empresa.

O Método UEPS não é aceito pela legislação fiscal como o método de valorização dos estoques, já que tende à apuração de um lucro inferior àquele apurado, adotando-se os critérios de preço médio e PEPS.

Comparando o método PEPS com o UEPS, verificamos que este diminui a margem de lucro bruto da empresa, enquanto o PEPS acarreta um aumento. A razão é que, pelo sistema PEPS, os materiais são sucessivamente baixados pelos custos mais antigos, ficando o saldo final, do exercício, valorizado pelos preços mais recentes.

O método UEPS deixa o estoque final valorizado pelos custos mais antigos e, consequentemente, mais baixos, em virtude de os lançamentos de saída serem registrados com base nos preços mais recentes. Logo, o valor de custo das mercadorias vendidas, no sistema PEPS, será menor que o produzido pelo método UEPS, além de lucros maiores.

De acordo com o art. 292 do RIR/1999, a pessoa jurídica deverá promover o levantamento e avaliação dos seus estoques ao final de cada período-base de apuração do imposto.

O valor dos bens existentes no encerramento do período-base poderá ser o custo médio ou dos bens adquiridos ou produzidos mais recentemente (PEPS). Admite-se a avaliação com base no preço de venda subtraída a margem de lucro (RIR/1999, art. 295).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s