Bactérias Sulfurosas


As bactérias sulfurosas pertencem a um grupo de bactérias autotróficas que produzem compostos orgânicos através da quimiossíntese.

As bactérias sulfurosas pertencem a um grupo de bactérias autotróficas que não realizam a produção de matéria orgânica a partir da luz (fotossíntese), mas sim, a partir da energia libertada pela quebra das ligações químicas de compostos inorgânicos (quimiossíntese), nomeadamente compostos de enxofre.

 

Fontes Hidrotermais – Habitat das bactérias sulfurosas

As fontes hidrotermais são fissuras no fundo do oceano através das quais ocorre a libertação de água extremamente quente, enxofre e outros minerais que, ao se depositarem lentamente, vão formando longas chaminés que, com o decorrer do tempo, podem chegar a atingir cerca de dez metros de altura.

As fontes hidrotermais abissais encontram-se ao longo das dorsais oceânicas. As primeiras fontes identificadas encontram-se no Pacífico (a Nordeste do arquipélago das Galápagos) a cerca de 2500 metros de profundidade.

Este é um habitat completamente desprovido de luz. Porém, ocorrem aqui condições específicas que permitem o florescimento de vida. Apesar das características ambientais extremas, as fontes hidrotermais constituem o habitat de vários organismos e, aqui, as bactérias são os produtores primários.

Para além das bactérias, foram também já identificadas nas fontes hidrotermais diversas formas animais como caracóis, camarão, mexilhões, pepinos do mar e caranguejos. Os pogonóforos (vermes tubícolas) formam colónias de diversos indivíduos, que podem chegar atingir os três metros de comprimento.

É possível encontrar também camadas no fundo rochoso compostas por mexilhões e ostras, com cerca de trinta centímetros de comprimento. Entre estes amontoados de vida, podemos observar diversas espécies de invertebrados, como crustáceos sem globos oculares, e outros predadores como peixes lagostas ou caranguejos.

 

As bactérias sulfurosas são o produtor primário destes sistemas

Nos ecossistemas hidrotermais, as bactérias quimiossintéticas são os produtores primários. São organismos quimioautotróficos, ou seja, não dependem de luz para síntese de matéria orgânica, mas sim, de elementos químicos reduzidos. A oxidação dos sulfetos (compostos de enxofre) é a reacção mais energética.

Assim, a matéria orgânica produzida por estas bactérias serve de alimento a organismos como os pogonóforos que, por sua vez, vão alimentar caranguejos ou peixes formando, assim, uma cadeia alimentar.

Alguns dos microrganismos típicos destes ecossistemas podem desenvolver-se em temperaturas que podem chegar a atingir os  150°C e em ambientes bastante ácidos, com valores de pH de até 3,3.

 

Referências bibliográficas

Molles, Manuel. Ecology – Concepts & Applications. 4th edition. McGraw-Hill.

Brusca, Richard C.  and Brusca, Gary J. (2002). Invertebrates. Sinauer Associates, 2ª Edição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s