Contabilidade comercial e financeira / Aula 2: Regime de Inventário Periódico e Inventário Permanente


Considerações iniciais sobre os estoques

O estoque é um dos elementos patrimoniais que representam os bens de uma empresa. Seja qual for o tipo de empresa, comercial, industrial ou prestadora de serviços, o controle dos estoques é fundamental para a manutenção das atividades e obtenção de receitas decorrente das vendas. Veja o vídeo a seguir:

Módulo II: Administração (Administração de Estoques) – Telecurso TEC. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=O6eMzRrjO5w. Acesso em 05 set. 2017.

Como você pode observar, nesse curto vídeo, seja num pequeno negócio, como a venda de água de coco ou num grande centro de distribuição (CD), o estoque tem um papel importante.

Nas empresas comerciais, merece atenção especial, visto que, a falha em seu controle pode causar problemas como falta de mercadorias para atender aos clientes e, consequentemente, ocasionar impactos no volume das vendas.

Na Contabilidade, ainda existem impactos que repercutem no resultado da empresa.

Conforme o CPC 16, item 6 (R1), estoques são ativos:

(a) mantidos para venda no curso normal dos negócios;
(b) em processo de produção para venda; ou
(c) na forma de materiais ou suprimentos a serem consumidos ou transformados no processo de produção ou na prestação de serviços).”

Assim, as mercadorias adquiridas para revenda nas empresas comerciais são consideradas estoques, bem como os insumos em processo e aqueles destinados à produção de bens nas empresas industriais.

No plano de contas das empresas, é comum a conta Estoques ter contas analíticas ou contas filhas, representando o componente patrimonial que melhor evidencie-o, conforme exemplificado no Quadro 1:

Quadro 1: Elenco de Contas

1.1.6 ESTOQUES
1.1.6.01 Estoques de Mercadorias, Produtos e Insumos
1.1.6.01.001 Estoque de Mercadorias

1.1.6102 Estoques de Materiais de Consumo
1.1.6.02.001 Estoque de Materiais de Escritório (Expediente)
1.1.6.02.002 Estoque de Materiais de Informática

Fonte: Ribeiro (2013).

Vejamos:

  • MENSURAÇÃO DOS ESTOQUES

    Mensurar significa medir, determinar o valor. Conforme o NBC TG 16 (R1), deve-se mensurar os estoques pelo valor de custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o menor.

    Não podemos confundir o valor realizável líquido com valor justo. Conforme o CPC 16, item 6, “valor justo é o preço que seria recebido pela venda de um ativo ou que seria pago pela transferência de um passivo em uma transação não forçada entre participantes do mercado na data de mensuração”.

  • VALOR DE CUSTO

    Considera-se no valor de custo o preço de compra, os impostos não recuperáveis e os demais gastos com fretes, seguro, manuseio e outros.

    Descontos incondicionais, abatimentos sobre compras devem ser deduzidos na determinação do valor de custo. Importante considerar a legislação do Imposto de Renda (RIR/99) no artigo 289, que inclui ainda no valor do custo os gastos com desembaraço aduaneiro.

  • VALOR REALIZÁVEL LÍQUIDO

    Não devemos considerar como valor do custo, as despesas do período, os custos financeiros embutido nas compras e os encargos financeiros.

    Já o valor realizável líquido “é o preço de venda estimado no curso normal dos negócios deduzidos dos custos estimados para sua conclusão e dos gastos estimados necessários para se concretizar a venda”. (CPC 16, item 6)

    Para acessar um exemplo, clique aqui.

Regime de inventário periódico e a contabilização das operações com mercadorias

Consiste no controle dos estoques de mercadorias ao longo do período, havendo, portanto, a necessidade de levantamento físico ao final do período (semestral, anual…), com o objetivo de apurar o custo das mercadorias vendidas (CMV) e o resultado com mercadorias (RCM).

Esse sistema não permite o controle do CMV e RCM após cada movimentação de venda, por isso, não é um sistema ideal para fins de tomada de decisão gerencial. Mas, devido a sua praticidade é um sistema que pode ser utilizado pelas empresas pequenas ou com poucas operações com mercadorias.

Se uma empresa adota o sistema de inventário periódico, pode optar por dois métodos alternativos de contabilização das operações com mercadorias:

Clique nos títulos acima para ler mais sobre cada método.

Regime de inventário permanente e a contabilização das operações com mercadorias

Esse sistema é utilizado normalmente pelas grandes empresas, tendo em vista o grande volume de estoques e a necessidade de maior controle dos resultados brutos, pois, a cada venda é possível se saber o valor do CMV.

Os critérios mais conhecidos para a avaliação dos estoques são:

Os critérios mais conhecidos para a avaliação dos estoques são:

PEPS;

UEPS;

Custo médio ponderado móvel;

Preço de venda diminuído da margem de lucro;

Preço específico.

Nesta aula, vamos dar ênfase aos critérios de avaliação de estoques PEPS; UEPS; Custo médio ponderado móvel. Clique aqui para ler sobre esses três critérios.

Atividade

Comente a afirmativa: Caracterize os dois regimes de inventários: o periódico e o permanente.

Corrigir

Questão 1: Considere as seguintes operações ocorridas na empresa comercial MR S.A., atacadista de portas de madeira. Qual o valor do Estoque Final, em 27/02, pelo método PEPS?

1. Em 05/02, adquiriu do fornecedor Pereira Ltda. 100 portas por R$100 cada, conforme NF n° 7.002.

2. Em 08/02, vendeu ao cliente Depósito Humaitá Ltda. 20 portas, conforme NF n° 101.

3. Em 10/02, adquiriu do fornecedor Pereira Ltda. 50 portas por R$113 cada, conforme NF n° 8.592.

4. Em 19/02, adquiriu do fornecedor Pereira Ltda. 50 portas por R$159 cada, conforme NF n° 9.721.

5. Em 20/02, devolveu ao fornecedor Pereira Ltda. 10 portas, conforme NF n° 115 referente à compra de 19/02.

6. Em 27/02, vendeu ao cliente Taboão S/A 140 portas, conforme NF n° 102.

Corrigir

Questão 2: Considere as seguintes operações ocorridas na empresa comercial MR S.A, atacadista de portas de madeira. Qual o valor do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV), em 27/02, pelo método Custo médio ponderado móvel:

1. Em 05/02, adquiriu do fornecedor Pereira Ltda. 100 portas por R$100 cada, conforme NF n° 7.002.

2. Em 08/02, vendeu ao cliente Depósito Humaitá Ltda. 20 portas, conforme NF n° 101.

3. Em 10/02, adquiriu do fornecedor Pereira Ltda. 50 portas por R$113 cada, conforme NF n° 8.592.

4. Em 19/02, adquiriu do fornecedor Pereira Ltda. 50 portas por R$159 cada, conforme NF n° 9.721.

5. Em 20/02, devolveu ao fornecedor Pereira Ltda. 10 portas, conforme NF n° 115 referente à compra de 19/02.

6. Em 27/02, vendeu ao cliente Taboão S/A 140 portas, conforme NF n° 102.

Corrigir

Questão 3: Sobre os gastos com fretes e seguros, marque a alternativa correta:

quando incorridos pelo vendedor na entrega de mercadorias vendidas, devem ser classificados como custo de mercadorias vendidas.

quando incorridos pelo vendedor na entrega de mercadorias vendidas, não alteram o resultado do período.

quando incorridos pelo comprador na aquisição de mercadorias para revenda, devem ser classificados como custo de aquisição de mercadorias.

quando incorridos pelo comprador na aquisição de mercadorias para revenda, devem ser classificados como despesas comerciais.

Corrigir

Questão 4: O Razão da conta Mercadorias, contabilizado no método conta mista, apresenta $450.000,00 na coluna débito e $325.000,00 na coluna crédito. Sabendo-se que o valor das mercadorias existentes, no final do período, é de $235.000,00, é correto afirmar que o lucro bruto nas vendas foi de:

$ 125.000,00

$ 110.000,00

$ 235.000,00

$ 360.000,00

Corrigir

Questão 5: A empresa Varejos Ltda. tinha em estoque 20 unidades de mercadorias contabilizado por R$80,00 cada unidade, quando negociou as seguintes operações:

1. Compra a vista de 60 unidades a R$100,00, pagando frete de R$ 600,00;:

2. Venda a vista de 40 unidades ao preço unitário de R$150,00, pagando frete de R$400,00.

A negociação não sofreu nenhuma espécie de tributação, nem sobre as mercadorias, nem sobre o frete.

Os estoques são controlados pelo método do custo médio ponderado móvel.

Com essas informações, podemos dizer que o negócio rendeu à empresa um lucro total de:

1.500,00

1.900,00

1.200,00

1.800,00

1.000,00

Corrigir

Referências desta aula

  • CPC 30 – Receitas. Comitê de Pronunciamentos Contábeis. Disponível em: www.cpc.org.br. Acesso em 24 ago. 2017.
  • RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Geral Fácil São Paulo: Saraiva, 2013.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s