40% das Crianças Hoje Nascem de Mães Solteiras


Por Dylan Scott [*]

Quarenta por cento de todos os nascimentos de crianças americanas são de mães solteiras, valor 700% maior do que em 1960

Um relatório recente do Social Capital Project revela que a família americana está se desintegrando rapidamente. Quarenta por cento das mães estão atualmente solteiras.

Esta é uma péssima notícia porque boas famílias dependem de bons casamentos. O casamento é o cimento moral que a mantém unida. É o agente estabilizante. Há uma razão para crianças de pais e mães casados terem melhor desempenho escolar e menos chances de irem parar na cadeia em comparação com crianças de mães solteiras, conhecidas como “famílias frágeis”.

Lavar Young, ativista de direitos civis, acredita que o casamento é uma poderosa ferramenta para combater a desigualdade racial. Ele delineou alguns dos problemas que crianças nascidas fora do casamento encaram:

Famílias frágeis apresentam práticas de criação mais ríspidas e menos atividades instrutivas, e crianças de tais famílias alcançam pontuações menores em testes cognitivos e possuem maior incidência de comportamento agressivo.

As crianças não são as únicas a sofrer, de acordo com o Sr. Young:

comparados às “famílias tradicionais”, pais de famílias frágeis tem mais chance de terem se tornado pais em sua adolescência, mais chances de terem tido filhos com outros parceiros, mais chances de serem pobres, sofrerem de depressão, lidarem com abuso de drogas e terem sido encarcerados.

Quando se trata de criar crianças bem-sucedidas, a importância de pais casados não pode ser subestimada. No todo, pais casados estabelecem melhores exemplos e mantém relacionamentos e ambientes mais estáveis que melhor preparam as crianças para a vida adulta. Isto é eloquentemente colocado pelos autores [do relatório] no Social Capital Project:

De todos os relacionamentos sociais que moldam as pessoas ao longo de suas vidas, nenhum é tão educativo e influente quanto o que as crianças têm com seus pais. Para a maioria de nós, é a família nuclear que primeiramente nos sociabiliza para o mundo adulto, desenvolve em nós vínculos seguros e maturidade emocional, e transfere a nós os valores e habilidades que moldam o resto de nossas vidas.

Infelizmente, a família nuclear tem estado em declínio há algum tempo – e nós já estamos experimentando as terríveis consequências disso como sociedade.

Social Capital Project, liderado pelo Senador Mike Lee (republicano pelo Estado de Utah), decidiu investigar por que mães solteiras se tornaram mais comuns nas últimas duas gerações. Desde 1960, a proporção de mães solteiras nos Estados Unidos subiu de 5 para 40 por cento em termos absolutos – um aumento de 700% nos últimos 60 anos.

Isso é em parte devido à crescente aceitação de nascimentos de crianças fora do casamento. Porém, conforme apontam os autores, esse crescimento tem explicações um pouco mais concretas, tais como: aumento na promiscuidade entre solteiros, menos casamentos de conveniência para mulheres solteiras grávidas, crescente adiamento nos casamentos e mais divórcios.

Os autores concluem que a explicação comumente utilizada de problemas econômicos não é a causa primária desse fenômeno:

Fenômenos sociais são complicados e têm múltiplas causas, mas a nossa leitura da evidência – e não estamos sozinhos – é que tendências negativas na economia explicam pouco o crescimento geral das gravidezes sem casamento. Em vez disso, nós acreditamos que é mais provável que, assim como outros aspectos de nossa vida coletiva em piora, o aumento da instabilidade familiar se reflete primariamente na afluência da sociedade, que reduziu os casamentos e a gravidez no matrimônio, aumentou os divórcios, a atividade sexual e a gravidez não marital, e reduziu os casamentos de conveniência.

Este relatório se soma à riqueza de dados que mostram que as famílias tradicionais americanas estão em declínio.

O Senador Lee é ele mesmo um conservador e defensor de longa data da família tradicional. Sua reação a este relatório é otimista, mas ele reconhece que mais dados são necessários para se entender o problema.

A estrutura familiar Americana mudou nas últimas gerações e é importante para os legisladores estudar os fatores que contribuem para essa tendência. Eu espero que este estudo contribua para o debate.

Em todo o caso, esses dados são perturbadores: o declínio do matrimônio e o crescimento da maternidade solteira coloca em perigo a sociedade americana por causa de seu efeito desestabilizador. É hora de levarmos esse problema a sério.

[*] Dylan Scott. “40 Percent Of Kids Now Born To Single Moms—Up 700 Percent Since 1960”. National Economics Editorial, 16 de Janeiro de 2018.

Tradução: dvgurjao

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s