Resolução 23 – GOVERNO TEMER DÁ MAIS UM GOLPE E PUBLICA RESOLUÇÃO PARA ACABAR COM OS CONVÊNIOS MÉDICOS DAS ESTATAIS


Notícia publicada dia 26/01/2018

Tamanho da fonte:

+ –

A RESOLUÇÃO 23 DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO IMPÕEM AS DIRETRIZES QUE FALTAVAM PARA A EMPRESA E A JUSTIÇA ACABAREM COM O PLANO MÉDICO DA CATEGORIA, CRIANDO MENSALIDADE E EXCLUINDO DEPENDENTES!

A Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União – CGPAR – órgão do Ministério do Planejamento, foi a encarregada de editar a resolução 23, que “estabelece diretrizes e parâmetros para o custeio das empresas estatais federais sobre benefícios de assistência à saúde aos empregados.”
A resolução traz tudo que a direção temerosa da ECT vem querendo fazer para acabar com o convênio médico da categoria. Era o que faltava para a empresa judicializar o plano e o TST julgar e mandar aplicar as regras criadas pelo governo Temer, usurpador cada vez mais abusado e ousado dos diretos trabalhistas.

Veja abaixo alguns itens das resoluções da CGPAR sobre plano de saúde de estatais eu atendem aos interesses da direção da ECT e de outras empresas:

Art. 4º – § 3º A contribuição da empresa estatal federal para o custeio do benefício de assistência à saúde não poderá exceder a contribuição dos empregados (ou seja, tem que ser pelo menos meio a meio).

Art. 4º Fica vedada às empresas estatais federais a instituição ou criação de benefício de assistência à saúde na modalidade autogestão por RH.

Art. 5º Fica vedado à empresa estatal federal participar de operadora de benefício de assistência à saúde na qualidade de mantenedora.

Art. 8º Respeitado o direito adquirido, o benefício de assistência à saúde, com custeio pela empresa, somente será concedido aos empregados das empresas estatais federais durante a vigência do contrato de trabalho.

Art. 9º A oferta de benefício de assistência à saúde, na modalidade autogestão, será permitida, desde que as seguintes condições sejam implementadas:

I – cobrança de mensalidade por beneficiário, de acordo com faixa etária e/ou renda;

IV – limitação da inscrição, como beneficiários dependentes de seus empregados, exclusivamente aos cônjuges ou companheiros(as) de união estável, inclusive os do mesmo sexo; e filhos.

A Diretoria do SINTECT-SP repudia mais esse golpe do governo Temer e seus representantes na direção da ECT contra a categoria, e deixa claro que vai ter luta! Para tanto chama todos os trabalhadores a estarem mobilizados e preparados para defender seus direitos junto com o Sindicato! Se não fizermos uma grande luta, eles vão acabar com nosso convênio. Essa resolução foi uma arma que criaram para isso!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s