Como Fazer uma Abertura de Pernas


2 Partes:Fazendo uma aberturaTrabalhando a sua flexibilidade

Já ficou de queixo caído ao ver a flexibilidade e graça de uma bailarina ou de um ginasta e chegou a pensar “Eu nunca conseguiria fazer isso?” Já tentou fazer abertura (também conhecida como escala) e acabou levando um tombo ou tendo uma cãibra? Não se preocupe – esse incrível feito de flexibilidade está ao alcance de qualquer um que tenha bastante paciência. Através de alongamentos frequentes, você também pode fazer uma escala. Confira o primeiro passo logo abaixo para começar.

Parte1

Fazendo uma abertura

  1. Imagem intitulada Do a Split Step 1
    1

    Use roupas apropriadas. Já pensou acabar rasgando uma calça bem na região da virilha ao fazer uma abertura? Para evitar esse e outros possíveis vexames, as roupas devem ser bem confortáveis e flexíveis. Por exemplo:

    • Shorts para ginástica, saia, calça de corrida ou de moletom.
    • Camisetas largas ou regatas.
    • Tecidos justos e com bastante elasticidade, tais como leggings e roupas com spandex ou lycra, roupas para dança, etc.
    • Se você tem um uniforme de karatê, você pode usá-lo também.
    • Meias ou meia-calça, mas dá para fazer a escala com os pés descalços também.
  2. 2

    Faça um aquecimento. Assim como qualquer outra atividade atlética, o aquecimento diminui o desconforto e previne lesões. Para aquecer-se, é preciso elevar os batimentos cardíacos. 7 a 10 minutos de corrida, bicicleta ou pulando corda são suficientes. O importante é deixar o corpo aquecido e aumentar a frequência cardíaca.
  3. 3

    Alongue-se. Após o aquecimento, faça um alongamento – procure concentrar-se nos músculos mais exigidos na hora da abertura de pernas: posteriores das coxas, quadris e, no caso da escala lateral, a virilha. Não é preciso fazer a série completa. Basta o suficiente para completar o processo de aquecimento. Na verdade, com a prática, as aberturas acabarão se tornando parte natural da sua rotina de alongamento.
  4. 4

    Fique na posição correta. Depois de aquecer e alongar o corpo, fique em uma posição que lhe permita fazer a abertura mais facilmente. Essa posição varia conforme o tipo de escala. Veja a diferença explicada logo abaixo:

    • Para uma abertura frontal, ajoelhe-se com a coluna reta. Estique uma perna para a frente. O joelho da frente deve estar esticado, enquanto o de trás fica dobrado. A perna de trás deve estar encostada no chão.
    • Para uma abertura lateral, fique de pé com a coluna reta. Abra as pernas além da largura dos ombros, mantendo-as esticadas.
    • Relaxe. Respire fundo. Concentre-se em pensamentos que trazem paz e calma. Procure relaxar qualquer tensão existente nos músculos do corpo. Há estudos que comprovam que o relaxamento faz uma grande diferença na flexibilidade de uma pessoa, principalmente se faz parte da rotina de alongamento dela.
  5. 5

    Comece a abaixar o corpo. Após ter aquecido e alongado os músculos, vá abaixando com as pernas abertas. Vá até onde conseguir sem que sinta dor ou desconforto – pare imediatamente quando sentir que ultrapassou seu limite. Deixe as mãos prontas para apoiar seu peso à medida em que você se aproxima do chão – é muito difícil apoiar todo o peso do seu corpo na pernas e, ao mesmo tempo, mantê-las relaxadas para uma maior abertura.

    • Se você quer fazer uma abertura frontal, estique devagar a sua perna de trás até que ambas as pernas estejam rentes ao chão. Pode ser preciso levar os quadris um pouco para cima. Mas nunca gire demais a sua região lombar.
    • Caso deseje fazer uma escala lateral, deixe as pernas deslizarem para os lados. Será necessário inclinar o tronco para a frente e apoiar o peso do seu corpo sobre as mãos.
    • Não force seus limites. Se você forçar demais o corpo ao fazer a abertura, você pode causar distensões e lesões bastante dolorosas que vão acabar diminuindo a sua flexibilidade. O certo é ir aumentando a abertura de pernas aos poucos, sem dor. Por exemplo, se hoje você conseguir ir apenas alguns centímetros a mais, mas sentindo um bom alongamento, não force a barra. Pare nesse ponto. É preciso ter um pouco de paciência.
  6. 6

    Continue com cuidado até chegar ao chão. Assim que suas pernas ficarem em 180 graus e sua pélvis encostar no chão, parabéns – você conseguiu fazer uma abertura ou escala! Ninguém consegue fazer isso perfeitamente nas primeiras tentativas, e isso é normal. Não force seus limites e nem tente dar impulso jogando o seu peso para baixo para aumentar a abertura das pernas. Ao invés disso, pare, alongue-se e tente novamente mais tarde.
  7. 7

    Mantenha a posição. Ao alcançar o limite da sua flexibilidade, mantenha a posição por cerca de 30 segundos. Em seguida, volte à posição inicial, alongue-se de novo e repita quantas vezes desejar, mas sem forçar os limites do corpo. Lembre-se de alternar as pernas no caso da abertura frontal. Se sentir dor, por menor que seja, resista à tentação de “vou fazer só mais uma”. Pare imediatamente.
  8. Imagem intitulada Do a Split Step 8
    8

    Tenha paciência. Nunca ultrapasse seus limites. Uma abertura exige muita prática e paciência. Pode levar meses até que você consiga aumentar a sua flexibilidade. Como o processo é gradual, é possível sentir pequenas melhoras a cada dia de prática. A paciência e a prática diária vão valer a pena – você vai conseguir realizar o movimento, seja mais cedo ou mais tarde.
  9. 9

    Depois de conseguir dominar a técnica de fazer aberturas, experimente fazer a escala extra. Por incrível que pareça, abrir as pernas em 180 graus não é o máximo que seu corpo pode fazer. Dá para continuar abrindo as pernas para que fiquem em um ângulo maior do que 180 graus. Mas como esse exercício de flexibilidade é radical, é essencial ter muito cuidado ao executá-lo. Comece fazendo aberturas com um travesseiro por perto. Assim que puder, coloque o travesseiro embaixo do calcanhar. Assim, você conseguirá ir um pouco além de uma abertura normal.

    • Conforme sua flexibilidade vai melhorando, você pode ir acrescentando travesseiros embaixo do calcanhar. Acrescente um travesseiro extra somente depois de obter flexibilidade suficiente para ficar à vontade com o número de travesseiros atual.

Parte2

Trabalhando a sua flexibilidade

  1. Imagem intitulada Do a Split Step 10
    1

    Saiba quais músculos terá que alongar. A escala ou abertura pode parecer simples à primeira vista. Mas, na verdade, esse movimento exige uma boa flexibilidade de múltiplos grupos musculares. Os mais importantes são os tendões do jarrete (posteriores das coxas) e os músculos dorsais do quadril. Ao alongar vários músculos, você melhora a flexibilidade do corpo como um todo, diminuindo o risco de dor ou lesões. Além disso, o corpo fica preparado para fazer os dois tipos de escala – o lateral e o frontal. Além de alongar os posteriores das coxas e dorsais do quadril, procure trabalhar também:

    • Região lombar
    • Glúteos
    • Virilha (principalmente para fazer escalas laterais)
    • Panturrilhas
    • Quadríceps
    • Os exercícios de alongamento sugeridos abaixo focam nos músculos coadjuvantes citados acima. Mas nada impede que você faça substituições conforme as suas preferências.
  2. 2

    Alongue os posteriores das coxas contra uma parede. A região lombar também é trabalhada. Deite no chão perto da parede. Seu corpo deve estar perpendicular a ela. Levante as pernas o máximo que puder, apoiando-as na parede e mantendo a região lombar no chão. Tente alcançar as pontas dos dedos do pé com as mãos – tente o máximo que puder sem sentir dor ou forçar demais os músculos. Mantenha a posição por 30 segundos. Repita de 2 a 3 vezes.
  3. Imagem intitulada Do a Split Step 12
    3

    Alongue-se com um agachamento unilateral. Esse tipo de exercício foca seus músculos do quadril. Faça de conta que você vai fazer um agachamento unilateral normal – coloque um pé na frente do corpo e abaixe-se, dobrando a perna da frente e deixando a perna de trás encostar no chão. Ao alcançar o chão, ponha as mãos no quadril e leve seu peso para a frente aos poucos, mantendo a coluna reta. Continue até sentir que a região que fica entre a coxa e o quadril está se alongando. Mantenha a posição por 20 a 30 segundos. Retorne à posição inicial e trabalhe a outra perna. Repita várias vezes.
  4. 4

    Alongue-se sentado no chão com as pernas abertas. Este exercício trabalha os posteriores das coxas, região lombar e, se você conseguir alcançar os dedos dos pés com as mãos, alonga-se também as panturrilhas. Sente-se no chão e abra as pernas para formar um “V” bem aberto. Aos poucos, leve o tronco para a frente, tentando alcançar um dos pés. Pare assim que sentir desconforto ou dificuldade. Mantenha a posição por 20 a 30 segundos. Retorne à posição inicial e repita com a outra perna.

    • No começo, pode ser que você não consiga alcançar os pés. Mas com a prática você vai conseguir. Depois de conseguir alcançá-los, segure suavemente o pé e puxe-o de leve em direção ao seu corpo para alongar a batata da perna também.
  5. 5

    Borboleta. Esse exercício trabalha a virilha e a parte interna das coxas. Sente-se no chão com a coluna reta. Se preciso, sente-se com as costas rentes à parede para manter a posição ereta. Traga os pés em direção à virilha, com os joelhos dobrados. Procure aproximar os calcanhares da virilha o máximo que puder sem sentir dor. Procure manter os joelhos próximos ao chão, usando as mãos se preciso. Mas não empurre demais, pois isso pode forçar os joelhos. Mantenha a posição por 20 segundos, descanse um pouco e repita.
  6. 6

    Alongue os quadríceps. Eles são os músculos da parte da frente da coxa. Você vai precisar de um ou dois travesseiros. Ajoelhe-se com o joelho da perna de trás sobre o travesseiro. Em seguida, levante o pé de trás, mantendo a coluna reta. Segure o pé com a mão do lado oposto. Puxe levemente a perna em direção ao seu bumbum. Você vai sentir a parte da frente da coxa alongando. Mantenha essa posição por 20 segundos. Repita com a outra perna.

    • Caso não queira forçar os joelhos, uma alternativa é fazer o alongamento em pé. Com a coluna reta, levante uma das pernas para trás em direção ao bumbum. Segure o pé com a mão do mesmo lado. Com a outra mão, apoie-se na parede.
  7. 7

    Alongue as panturrilhas. Deite de barriga para baixo no chão. Levante o seu corpo mantendo a coluna e as pernas alinhadas, apoiando o peso do corpo nos cotovelos e pés. Coloque um pé sobre o outro para equilibrar-se em um só pé. Leve pouco a pouco o peso do seu corpo para trás até sentir a batata da perna e o pé de baixo alongando. Mantenha a posição por 20 segundos. Repita com a outra perna.

    • Esse exercício tem duas vantagens: alonga a panturrilha e ainda trabalha seus músculos abdominais.

Dicas

  • Procure sempre alongar as pernas antes de fazer uma abertura. Lembre-se de manter o peito aberto.
  • Uma técnica alternativa é deitar no chão com o bumbum encostado na parede. Abra as pernas o máximo que puder. Esse alongamento facilita a realização da abertura se feito todos os dias!
  • Outro alongamento consiste em deixar os pés contra a parede e tentar deslizar o bumbum em direção à parede.
  • Caso não consiga abaixar muito, deixe as mãos no chão (uma em cada lado do corpo) para ter mais equilíbrio.
  • Após dominar a técnica da escala, pode-se ir além e praticar com caneleiras de 5 kg, uma em cada perna. Mantenha a posição por 20 a 30 segundos.
  • Sente-se no chão e levante sua perna em direção à cabeça. Mantenha essa posição por 30 segundos, e então torque de perna. Esse alongamento ajuda a aquecer os músculos das pernas e das costas.
  • Se você ainda não se sente muito à vontade fazendo escala, deixe algo fixo para poder apoiar-se caso perca o equilíbrio.
  • Experimente a borboleta ao contrário. Deite de barriga para baixo. Levante o tronco usando os braços. Una os pés atrás do corpo. Este exercício alonga as pernas e as costas.
  • Procure inclinar-se para a frente e olhar para os joelhos. Isso facilita a manter a posição correta para a escala.
  • Pratique todas as noites segurando uma perna por vez no ar por cerca de um minuto. Alterne as pernas e então coloque as duas juntas para cima.

Avisos

  • Se você continuar se forçando ao ponto de sentir dor, você pode distender ou luxar um músculo ou tendão. Pior ainda, pode danificar permanentemente a cartilagem nas articulações.
  • Alongue-se sempre, mas sem forçar seus limites. Se você não mantiver seus músculos flexíveis com a prática regular e constante, eles se tornarão rígidos novamente. Não se esforce demais se você não tiver praticado por um tempo. Senão, você provavelmente vai sofrer uma distensão.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s