Força Interior


 


Fraternidade Rosacruz de Campinas

Muitas oportunidades são dadas ao aspirante à vida superior, durante sua peregrinação na Terra, para conhecer pessoas extraordinárias que realizam importantes obras contribuintes ao desenvolvimento espiritual da humanidade. Tais indivíduos parecem ter uma força interior tremenda e, por meio dela, conseguem transmitir amor, harmonia, paz e cura nos diversos lugares que percorrem. Mas o que, de fato, constitui a
força interior que esses indivíduos possuem? O que eles fazem para identificá-la e cientificamente aumentá-la? O presente artigo não traz respostas a estas questões, mas fornece dicas que poderá auxiliar o aspirante em sua busca por expandir sua força interior, uma vez que esse trabalho é individual e deve ser realizado subjetivamente.

Em verdade, todo ser humano como filho de Deus, possui dentro de si uma grande herança em poder espiritual que lhe torna capaz de realizar obras semelhantes às mencionadas. Porém, esses poderes estão ainda latentes na maior parte das pessoas, e muito trabalho deve ser realizado para que as belezas de Deus possam ser expressas, até que o aspirante possa “caminhar na Luz, assim como Ele na Luz está”.
Como primeiro passo na busca por expansão interior, o aspirante deve identificar e encontrar meios de superar resquícios antigos que estão enraizados em sua personalidade desde remotos tempos. Um dos mais importantes, o qual bloqueia a força interior, é a forte tendência que o homem comum possui de buscar fora de si respostas aos problemas vivenciados, sendo que a extrema expressão dessa tendência é a prática
de idolatrias.

No desenvolvimento psicológico comum do ser humano, essa tendência é fortemente expressada durante a adolescência, em que jovens realizam admiração exagerada a artistas, músicos, cantores, atores, entre outros, atribuindo-lhe valor, poder e uma admiração inacreditável, como se de fato estes artistas (símbolo externo a eles) possuíssem algo muito especial. Apesar de sabermos que tais comportamentos constituem uma “fase” natural de desenvolvimento da vida, eles também revelam o antigo resquício mencionado. Adultos por sua vez também atribuem profunda reverência e confiança a imagens de santos, a tatuagens, amuletos e ao conhecimento sobre astrologia, por exemplo, como se de fato todo o poder de ajuda estivesse nestes objetos ou ferramentas. O antigo hábito de beijar santinhos, de realizar pedidos, de ter medalhas no bolso para dar sorte, de acender velas e consultar astrologia antes fazer qualquer ato simples, são bons exemplos que podem auxiliar o aspirante a identificar suas tendências de atribuirao externo um poder que deveria, na verdade, estar dentro dele. De fato, as imagens externas são excelentes lembretes para a mente mineral recordar o símbolo embutido na imagem, mas atribuir a estas um poder capaz de solucionar nossas dificuldades é tão infantil quanto às crenças e comportamentos da humanidade primitiva no período da transição entre a Era de Touro e Era de Áries. Portanto, a primeira dica dada ao aspirante que busca desenvolver seu poder interior consiste em conquistar poder sem apoios externos, sempre lembrando sua
origem Divina. Assim, ele mesmo será seu próprio amuleto, capaz de se guiar nos caminhos tortuosos da vida e de reger suas próprias estrelas.

O aspirante perceberá que conforme for aumentando sua capacidade de reger seus comportamentos ao se livrar de amuletos externos, sua percepção de autoconfiança e sua consciência irão concomitantemente aumentando, o que revela que o poder de Deus está verdadeiramente maior nele. Deste modo, poderá ser mais útil no trabalho de libertação espiritual de si próprio e de seus semelhantes.

 

 

 

Os grandes Guias da humanidade já sabiam que esse resquício provavelmente contribuiria como obstáculo do desenvolvimento da humanidade. Por isso, deram o seguinte o mandamento: “Não farás para ti esculturas, nem figura alguma do que está em cima nos céus, ou embaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra;
não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto”. A filosofia Rosacruz ensina que o ser humano é Espírito e, como Espírito, teve que construir quatro corpos, cada um composto de materiais correspondentes a cada um dos Mundos que compõe seu campo de evolução. Os corpos são: (1) corpo físico; (2)
corpo vital; (3) corpo de desejos; e (4) mente. Os Mundos são: (1) Mundo Físico, (2) Mundo de Desejos e (3) Mundo do Pensamento (Veja mais detalhes no Cap. I do Livro o “Conceito Rosacruz do Cosmos” de Max Heindel). O conhecimento que o aspirante possui sobre a constituição dos corpos estabelece a segunda dica na busca por expansão da força interna, pois essa força depende dos materiais de nossos corpos. Pois, do mesmo modo que o corpo físico assimila partículas de alimentos para crescer, os demais corpos
necessitam de alimentos específicos para que fiquem fortes.

Para o Corpo Físico e as Leis do Mundo Físico, a medicina e a ciência comum já provém e realizam constantes descobertas a respeito do que é necessário para se ter um Corpo Físico saudável. Vale reforçar que uma dieta ovo-lacto-vegetariana equilibrada e exercícios físicos regulares contribuem bastante para o desenvolvimento espiritual saudável do ser humano. Para o Corpo Vital, que também faz parte do Mundo Físico, a conferência XI do Livro “Cristianismo Rosacruz” descreve surpreendentemente o caminho para sutilizar o Corpo Vital. A persistência de manter uma alimentação saudável e exercícios físicos moderados permite que o Éter Químico* do Corpo Vital seja sutilizado. A devoção bem aplicada e repetida também faz com que o aspirante crie tendências puras de sentimentos e comportamentos, de modo que sua força sexual,
gerada no Éter de Vida*, eleve-se até coração e gradativamente o homem aprende a eliminar maus hábitos e traços de caráter indesejáveis. Os dois últimos Éteres do Corpo Vital, o Éter de Luz* e o Éter Refletor*, sutilizam-se pelo emprego da observação e do discernimento, respectivamente. A observação minuciosa dos acontecimentos ao redor do aspirante, faz com que o aspirante fique consciente de tudo que o Éter de Luz
registra, e o discernimento capacita-o a excluir o falso do verdadeiro ou os obstáculos que obstruem o caminho. (Veja mais detalhes no Cap. I do Livro o “Conceito Rosacruz do Cosmos”). Tudo isso aliado a um serviço amoroso e desinteressado para com aqueles que necessitam de auxílio, promove a construção do Corpo-Alma (veja mais na primeira parte do Livro “A Teia do Destino” de Max Heindel), veículo este que melhor responde aos comandos do Ego.

Passando agora para o Mundo de Desejos e para o Corpo de Desejos, encontramos condições e leis que o aspirante deve compreender para que aprenda a desenvolver um corpo de desejos forte. Duas são as forças presentes no Mundo de Desejos e os materiais que compõem o instrumento do homem nesse Mundo obedecem a estas mesmas leis. São elas: a força de atração e a de repulsão. As regiões inferiores
do Mundo de Desejos possuem pouca força de atração e demasiada força de repulsão. Já as regiões superiores, possuem demasiada força de atração e nenhuma força de repulsão (Veja mais detalhes no Livro o “Conceito Rosacruz do Cosmos”). O papel da força de atração é atrair formas de desejos que possuem natureza semelhante, independente de sua origem. Já a força de repulsão, por possuir natureza de rejeição, acaba por destruir todas as formas que a ativa.

Considerando apenas as regiões inferiores, onde a força de repulsão predomina, apenas há emoções primitivas e animalescas. Entre elas o sensualismo, a gula, o egoísmo, o orgulho, os interesses pessoais, a perda de controle emocional, a inveja, a ira, a cólera, entre outras emoções.

 

 

 

A dinâmica das duas forças ocorre da seguinte maneira: a força de atração, mesmo que em menor quantidade, atrai todas as formas que possuem natureza semelhante. Mas mesmo que essas formas inferiores se somem, a força de repulsão ali predominante acaba por destruir e eliminar todas elas. Do mesmo modo, sempre que uma pessoa alimenta ou faz uso desses sentimentos inferiores, inevitavelmente põe em movimento a destruidora força de repulsão que elimina os materiais de seu corpo de desejos. Assim, o corpo de desejos fica fraco, pequeno e vazio. Um sentimento de vazio toma lugar e a busca por preencher novamente esses espaços destruídos se inicia. A pessoa, então, fica num ciclo vicioso de emoções vazias
como todo aquele que vive apenas para satisfazer seus desejos e nunca fica saciado.  Por outro lado, quando o aspirante aprende a colocar em seu corpo de desejos materiais onde há apenas força de atração, as formas se atraem e se somam. Ao invés de se destruírem, permanecem com o indivíduo por um bom período de tempo. Sentimentos de plenitude, harmonia e paz se estabelecem. Assim, o corpo de desejos fica grande, forte e consistente, e com sua aura de desejos superiores, o aspirante tornase capaz de curar e influenciar beneficamente todos os ambientes que estiver em contato e auxiliar seus semelhantes.

Finalmente, passamos para o último e mais jovem veículo do homem que foi necessário para que este se tornasse um ser completamente individualizado e fizesse uso de materiais do Mundo do Pensamento – Região Concreta (Veja mais detalhes no Livro “Conceito Rosacruz do Cosmos”). Como veículo mais novo, a mente possui uma vantagem e uma desvantagem. A vantagem é que ela não apresenta tendências robustas que
dificultam o trabalho do Ego, assim como apresenta o corpo de desejos e o veículo dos hábitos que parecem ter vontade própria. A desvantagem é que, por ser jovem, a mente não retém pensamentos com muita facilidade e pelo período de tempo necessário para poder conhecer a real natureza de um assunto. É bem fácil perceber a dificuldade de se manter concentrado sobre algum assunto. Desta dificuldade surgiu a astuta justificativa de que o ser humano não consegue impedir que pensamentos parem de fluir de sua
mente e, por isso, as pessoas se acostumaram a pensar displicentemente. Apesar de difícil, aquele que aprender a ter controle de sua mente, terá em suas mãos a chave mestra do êxito em qualquer caminho que empreender.

Mas o desenvolvimento concomitante da pureza e do coração fornecerá a base para utilização da mente na
solução dos problemas e aquisição de conhecimento. Essa condição é fundamental para que haja expansão da força interior. Como dicas finais para construção da força interior, estão a compreensão do propósito da vida, do Universo, das Leis naturais e da prática dos exercícios da retrospecção (que auxilia na limpeza de materiais inferiores do corpo de desejos e da fortificação dos superiores) e de concentração pela manhã (que auxilia a dominar a mente). Somente aqueles que conseguem ir além da teoria e encaram a vida como uma
experiência científica governada por Leis justas e imutáveis, podem caminhar na senda da preparação. Estes não mais duvidam que todas as ações sempre geram resultados e, deste modo, se souberem direcionar seus atos, colherão frutos valorosos para seu desenvolvimento. É exatamente isso que significa trabalhar com as Leis do universo.

Todas as vezes que o aspirante se depara com informações superiores, concordando que as mesmas são importantes para seu desenvolvimento, deve tratá-las com profundo respeito e empregar grande parte de sua atenção a elas. Um conceito intelectual sobre ocultismo é bastante interessante, mas o resultado só será visível se houver prática dos conceitos. O aspirante que aprender a tornar o conhecimento como parte de si (materializando em sua vida e na constituição de seus corpos os ideais que tanto almeja, utilizado o CAOS a seu favor) gradativamente iniciará o processo de vida e jamais conhecerá a morte. Assim fez João Evangelista, Apóstolo de Cristo e iniciado de alto grau. O aspirante não deve ter comportamentos e pensamentos elevados apenas quando lhe for conveniente, mas alimentá-los todos os dias, caso contrário, seus corpos morrerão.

Estamos falando de um poder interno tão importante que sua ausência seria fundamental para pouco ou nenhum desenvolvimento espiritual. Atualmente é comum receber queixas de estudantes a respeito da dificuldade que é seguir o método Rosacruz de desenvolvimento. Isso de fato é verdade, pois esse método, apesar de simples e exigir pouco nível de escolaridade para ser compreendido, esbarra exatamente nos muitos resquícios inconscientes que acompanham o aspirante desde remotos tempos. Mas, grave em si a seguinte verdade: “o esforço e a atenção necessária que uma pessoa emprega para se elevar e alcançar total domínio sobre sua vida é muito pequeno se comparado com os benefícios colhidos dessa prática” (frase extraída do Revista Rays from de Rose Cross, Abril e Maio de 1988). Que Deus lhe ajude a expandir seu poder interior.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s