Após morte de macacos, secretaria de Saúde recomenda vacinação contra febre amarela em Nova Iguaçu, RJ


Tanguá e Miguel Pereira também devem intensificar ações, pois registraram casos de macacos com resultado positivo para febre amarela no fim do ano passado.


Por G1 Rio

 

Vacinação contra febre amarela vai ser intensificada em Nova Iguaçu

Vacinação contra febre amarela vai ser intensificada em Nova Iguaçu

A Secretaria Estadual de Saúde recomendou a vacinação contra a febre amarela no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, após confirmação do vírus na região pela Fiocruz. Além de Nova Iguaçu, SES também recomendou a ampliação da vigilância nos municípios de Tanguá e Miguel Pereira, que também registraram casos de mortes de macacos com resultado positivo para a febre amarela. Os casos foram confirmados no final do ano passado.

Desde o ano passado, foram registrados 27 casos de febre amarela no RJ. As ocorrências aconteceram em 15 municípios do estado que tiveram nove mortes. Apenas crianças até nove meses de vida e pessoas com doenças que alteram o sistema iminológico não devem se vacinar.

“A população que precisa se vacinar, prioritariamente, é a população que vive no entorno das matas. A gente solicita à população não ir pra essas regiões mesmo que tenha alguma atividade, mas que tome a vacina dez dias antes de se deslocar pra essas áreas”, disse Mário Sérgio Ribeiro, coordenador de Vigilância Sanitária de Nova Iguaçu.

Nesta quinta-feira (4), agentes da secretaria se reuniram com a Prefeitura de Nova Iguaçu para oferecer apoio e intensificar a vacinação contra a febre amarela na região da Reserva Biológica do Tinguá. O encontro foi realizado após a confirmação da morte de um macaco pela doença na região.

O diagnóstico foi confirmado no final do mês de dezembro após exames laboratoriais realizados pela Fiocruz. De acordo com a secretaria, a prefeitura de Nova Iguaçu garantiu que tem estrutura suficiente para reforçar a vacinação no local e informar à população sobre o risco da doença em áreas de mata.

A secretaria afirmou que disponibilizou doses suficientes para imunizar todo o público-alvo nas regiões de Miguel Pereira e Tanguá. Como Nova Iguaçu informou que a taxa de vacinação está em 24,1%, a SES disponibilizou um reforço de 100 mil doses da vacina.

Os postos de saúde estarão abertos durante a semana em Nova Iguaçu. A população que vive ou se desloca pra essas áreas de mata e não tomou a vacina devem procurar pelos postos e se vacinar.

“Não existe a necessidade de correr aos postos de saúde no restante. Na área urbana, por exemplo, é procurar o posto paulatinamente. Não precisa lotar os postos nessas áreas”, contou Mário Ribeiro.

A Secretaria de Saúde informa que não há uma epidemia de febre amarela e nenhum caso da doença foi confirmado entre os moradores da região. A presença da febre amarela em macacos é um sinal de que casos da doença podem aparecer na população.

Desde 1942, não há casos de transmissão da febre amarela dentro das cidades. O mosquito transmissor da febre amarela urbana, o aedes aegipti, hoje preocupa muito mais como transmissor de outras doenças: dengue, zika e chicungunha.

A secretaria de saúde teme que os casos de chicungunha possam aumentar este ano devido a pequena parcela da população já teve contato com a doença. Por isso, a resistência ao vírus no Rio não é muito alta. Como ainda não tem vacina para a chicungunha, o mais importante é a prevenção.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s