Qual é o significado da frase de Jesus: “Eu e o Pai somos um”?


Q

Public Domain
Compartilhar

18
Comentar
0

Uma frase de conteúdo muito profundo, sobre a qual vale a pena meditar

“Vocês poderiam me explicar o que Jesus queria dizer quando falou ‘Meu Pai e eu somos um’? (pergunta enviada pelo Facebook)

“Eu e o Pai somos um” (João 10, 30)

É preciso ser um leitor verdadeiramente atento da Bíblia para prestar atenção nesta frase e perceber que sua compreensão apresenta algum problema. Na verdade, trata-se de um exemplo de quão problemáticas podem ser as traduções, já que é impossível transferir de um idioma a outro todo o significado das palavras.

Desconhecemos as palavras exatas empregadas no aramaico original. Na verdade, desconhecemos inclusive se o idioma usado foi mesmo o aramaico. Não se pode descartar a possibilidade – por matizes específicos da língua – de que algum dos diálogos de Jesus com os doutores da lei tenha sido em grego, pois talvez eles não tenham querido ser entendidos em Jerusalém (na Galileia, teriam entendido melhor), e o Senhor pode ter aproveitado o grego para matizar mais suas respostas, já que este idioma permitia mais precisão que o aramaico.

A única coisa certa é que São João escreveu seu evangelho em grego, e é a este texto que nos atemos. Ao traduzir do grego para o latim, conserva-se bem o significado; por isso, faremos as referências baseando-nos no latim, uma língua mais próxima a nós e escrita com as mesmas letras.

Em nossa língua, há dois gêneros: masculino e feminino. Em grego e latim, há três: masculino, feminino e neutro (isso existe no alemão também). Em espanhol e português, temos apenas alguns resíduos desse neutro, como, por exemplo, nos pronomes: esse (masculino, essa (feminino) e isso (neutro). Infelizmente, para o nosso caso, não existe esta distinção com o termo “uno”.

Em latim, a frase de Jesus é “Ego et Pater unum sumus”. “Unum” está em neutro, o que faz com que não possa significar “somos uma mesma pessoa” (se fosse assim, o termo seria “unus”, em masculino), mas que em rigor teria de ser traduzido como “uma mesma coisa”.

Esta  é a tradução habitual para uma frase desse tipo, mas não se utiliza porque não fica bem dizer que Deus é uma “coisa” (há uma versão que a utiliza). Por isso, o mais habitual é traduzir “somos um” e pronto. Mas, claro, o significado se perde.

Esta é uma frase importante, muito utilizada na teologia trinitária. O motivo é que condensa em poucas palavras a distinção de pessoas e a unidade no ser. Há um sóDeus, um só ser divino (“unum”), no qual há distinção de pessoas (“Ego et Pater”, com o verbo no plural, “sumus”).

As palavras que seguem ajudam a reforçar este significado, pois distinguem claramente entre o Pai e o Filho e, ao mesmo tempo, o Senhor diz que faz o que faz “para que conheçais e saibais que o Pai está em mim e eu no Pai” (v. 38).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s