Contabilistas – Áreas


Auditoria ambiental

Produtos ambientalmente corretos têm sido cada vez mais procurados pelos consumidores, fazendo com que as empresas procurem eliminar os impactos ambientais de suas atividades através da adoção de modelos de gestão sustentável.

Juntamente com a crescente preocupação com a preservação do meio ambiente, desenvolveu-se uma extensa legislação para a área.

De acordo com Silva et al. (2009, p. 73):

“O país possui uma rica legislação relacionada ao meio ambiente. Contudo, somente dos anos 80 para cá, a sua observância vem sendo mais cobrada. Além dessa legislação, há ainda as normatizações ISO, elaboradas pela International Organization for Standardization, com sede na Suíça e membros em todas as partes do mundo, incluindo o Brasil.

Assim, normas locais, convenções e acordos internacionais e a série ISO 14000 foram alguns dos instrumentos criados no sentido de viabilizar a promoção do desenvolvimento com conservação ambiental, dando origem a vários mecanismos de gestão ambiental nas empresas e a definição de políticas governamentais locais, atuando como orientadoras do processo econômico e social, com a inclusão da variável meio ambiente”.

A auditoria ambiental contempla um conjunto de procedimentos destinados a avaliar a eficácia dos sistemas de gestão ambiental, de forma a permitir fiscalizar e limitar o impacto das atividades da organização sobre o meio ambiente.

Contabilidade ecológica ou ambiental

Normalmente, a utilização de recursos naturais, embora seja imprescindível para o desenvolvimento econômico, provoca a degradação do meio ambiente e leva à escassez.

Em contrapartida, não podemos paralisar o crescimento da economia, pois dele dependem as pessoas, razão pela qual é necessário encontrar mecanismos que conciliem o desenvolvimento com a preservação ambiental.

A ciência contábil, através dos seus mecanismos de registro e controle, consegue captar, registrar, sintetizar e demonstrar, dados econômicos e financeiros de entidades que cuja operação envolva a exploração do meio ambiente.

A Contabilidade ambiental permite apresentar informações referentes aos efeitos causados por questões ambientais no patrimônio das organizações, tanto para os usuários internos, quanto para os externos.

A adoção da Contabilidade ecológica pode proporcionar algumas vantagens, tais como:

Contabilidade aplicada à logística

Como podemos conceituar logística?

De forma abrangente, como uma área do conhecimento que se dedica à gestão dos processos relacionados com as cadeias de suprimentos.

Em um ambiente globalizado e competitivo, a logística assume papel fundamental para as organizações, na medida em que os elevados padrões de qualidade, a minimização de custos e o encurtamento dos tempos das entregas são fatores determinantes para manutenção e conquista de clientes.

São quatro os custos básicos associados à logística e sob os quais a Contabilidade atua de forma gerencial:

Além desses custos, a Contabilidade Logística também cuida da gestão dos custos de oportunidades e das perdas, confirmando seu forte viés gerencial no auxílio à gestão das cadeias de suprimentos.

Contabilidade estratégica

Ainda não há unanimidade quanto ao conceito de Contabilidade estratégica. Entretanto, a partir da compilação de diversas definições, podemos sugerir o seguinte conceito:

Contabilidade estratégica é um olhar especializado sobre os dados contábeis de uma organização, comparando-os com os dos concorrentes, com vistas a obter vantagens competitivas na busca da consolidação e ampliação dos negócios.

Na moderna visão empresarial, a estratégia está vinculada a inovação e a criatividade necessárias para superação dos concorrentes em ambientes de acirrada competitividade e elevada complexidade.

Para atuar estrategicamente o contabilista deve se manter sempre capacitado tecnicamente, o que significa estar permanentemente atualizado com a legislação e o estado da arte das melhores práticas contábeis.

Nesse segmento de atuação, o profissional deve ser dotado de uma visão holística dos negócios e ter a capacidade de perceber mudanças culturais e econômicas que ocorram nos mercados nos quais a organização atua.

De acordo com Goldenberg ([s.d.] apud VIEIRA et al., 2010), a respeito da abordagem estratégica, a visão contábil deve ser ampliada, indo além das informações produzidas pelos fatos já conhecidos para as atividades de planejamento, de modo a antever as consequências para a empresa no futuro e tornando-se parte integrante do processo de decisão da empresa.

Quadro comparativo

Contabilidade tradicional X Contabilidade estratégica

Investigador contábil

A gestão de riscos de uma empresa deve procurar prevenir a ocorrência de fraudes e erros.

Para isso, deve contar em seus quadros com contadores capazes de realizar ações que efetivamente previnam tais ocorrências, quer seja através da condução de processos investigativos decorrentes de suspeitas de fraude, ou do permanente monitoramento das atividades contábeis, com o objetivo de minimizar a ocorrência de erros.

Rasmussen (1988, p. 14) nos ensina que:

 “[…] os roubos e fraudes sempre começam em quantidade pequena e aumentam sucessivamente com a confiança do delinquente, pois não existem sistemas de controles internos, auditoria e naturalmente uma justiça severa que puna estes atos”.

Os processos de investigação são iniciados a partir de suspeitas, indícios ou denúncia de fraude.

O profissional designado para condução da investigação deve dominar um conjunto de habilidades que, além dos sólidos conhecimentos contábeis, engloba também aspectos jurídicos e dos processos organizacionais.

Durante o procedimento investigativo, o contador deve caminhar lado a lado com o setor jurídico para encontrar os meios capazes de identificar a ocorrência de fraudes.

Desenvolvimento da empregabilidade

Como já tivemos a oportunidade de ver na aula 1, a empregabilidade diz respeito à passagem da situação de desemprego para a de emprego.

Nessa acepção, “empregabilidade” poderia ser definida como “probabilidade de saída do desemprego”.

Colocando a empregabilidade no eixo oferta/demanda, temos de um lado as necessidades e requisitos das organizações e de outro os profissionais e seus respectivos perfis.

Nessa perspectiva, a multifuncionalidade tem se mostrado cada vez mais como uma forte demanda dos empregadores, cujo atendimento requer a diversificação de conhecimentos, habilidades e competências, por parte daqueles que postulam uma colocação no mercado de trabalho.

Ao procurar um perfil multifuncional, a empresa busca identificar um profissional que tenha capacidade de alavancar os negócios e agregar valor à empresa.

Atividade

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s