Arquivos Gerber


tutorial-eagle-destaque
Este post faz parte da série Tutorial EAGLE. Leia também os outros posts da série:

Nos artigos anteriores deste tutorial tivemos uma breve visão do ciclo de desenvolvimento de uma PCI com o EAGLE. Considerando que os iniciantes já têm todas as informações básicas para entender como o EAGLE funciona e já estão aptos a explorar sozinhos todas as funcionalidades que não foram listadas aqui, dedicaremos este último artigo a mostrar como se dá o processo de geração dos arquivos gerber no EAGLE.

 

 

Pra que servem os arquivos gerber?

 

Os arquivos gerber são os arquivos que o projetista envia à empresa fabricante de PCIs para industrialização das placas.

 

Não é muito usual o projetista enviar o projeto completo da PCI ao fabricante. Aos invés disso são enviados os arquivos gerber, que contém todas informações que o fabricante precisa – e nada mais. Os arquivos gerber não contêm informações sobre os componentes utilizados e nenhuma outra informação sobre o esquemático do circuito.

 

 

Gerando os arquivos gerber

 

Agora que já consideramos que o projeto de nossa PCI está terminado, podemos iniciar o processo de geração dos gerbers. É muito importante lembrar que após começarmos o processo de geração dos gerbers não devemos fazer mais alteração no esquemático ou no layout. Caso seja inevitável realizar alteração o processo de geração dos gerbers deve recomeçar do zero.

 

Começaremos abrindo o arquivo “amplificador.brd” e clicando em “File > Run ULP…”. Surgirá um janela onde devemos selecionar o arquivo “drillcfg.ulp”. Após isto, surgirá outra janela onde devemos escolher a opção “mm”. O EAGLE mostrará, então, uma janela com a lista de todos os diâmetro de furos encontrados na placa. Não convém editarmos esta lista, e devemos apenas clicar om “Ok”. O resultado será um arquivo com extensão “.drl” que deve ser salvo de preferência junto com os demais arquivos do projeto. Este arquivo contém informações sobre o diâmetro dos furos na placa e será usado nas etapas futuras.

 

Gerando a arquivo gerber “.drl”.
Figura 1: Gerando a arquivo “.drl”.

 

Após salvarmos o arquivo “.drl” o próximo passo é, na janela do arquivo “.brd”, clicar em “File > CAM Processor…”. Surgirá uma nova janela. Este é o “CAM Processor”, a ferramenta para geração de gerbers do EAGLE. Através do “CAM Processor” é possível gerar arquivos gerber de diversos formatos e seguindo exatamente as configurações que o projetista desejar.

 

No “CAM Processor” é possível configurar manualmente todos os parâmetros dos arquivos gerber que queremos gerar, mas para nossa alegria o EAGLE já oferece algumas rotinas prontas para geração de arquivos gerber que já servem para a grande maioria dos casos. No Brasil, a maioria das empresas fabricantes de PCI (na verdade todas as que eu conheço) utilizam o formato RS274X, e também há uma rotina pronta para geração deste formato de arquivos gerber. Para utilizá-la, no menu superior da janela do “CAM Processor”, devemos clicar em “File > Open > Job…”. Surgirá uma nova janela onde devemos escolher entre vários arquivos de formato “.cam”. Devemos selecionar o arquivo “gerb274x.cam”, pois a placa do nosso exemplo possui duas camadas. No caso de uma placa de quatro camadas, deveríamos selecionar o arquivo “gerb274x-4layer.cam”.

 

CAM Processor com as configurações carregadas do arquivo “gerb274x.cam”.
Figura 2: CAM Processor com as configurações carregadas do arquivo “gerb274x.cam”.

 

Após selecionarmos o arquivo “gerb274x.cam” todas as configurações do “CAM Processor” serão carregadas automaticamente, e tudo que temos a fazer é clicar em “Process Job”, na parte inferior da janela do “CAM Processor”. Em poucos segundos, os arquivos gerber já poderão ser vistos na pasta do projeto no “Control Panel” do EAGLE, ou utilizando o navegador de arquivos do seu sistema operacional e indo até a pasta do projeto.

 

Se tudo der certo, surgirão seis arquivos com extensões “.cmp”“.sol”“.plc”“.stc” e “.sts”. Estes arquivos representam, respectivamente, a camada de cobre na parte superior da placa, a camada de cobre na parte inferior da placa, o silk screen da parte superior da placa,  a máscara de solda da parte superior da placa, e a máscara de solda da parte inferior da placa. Além destes também será gerado um arquivo de anotações do EAGLE com extensão “.gpi”.

 

No arquivo “gerb274x.cam” foi considerado que não há silk screen na parte inferior da placa. Caso desejássemos que houvesse, deveríamos incluir mais uma aba clicando no botão “Add” e configurá-la para tal.

 

Para finalizar, é preciso gerar os arquivos de furação para fabricação da PCI, pois esta etapa não está inclusa na rotina que utilizamos. No menu superior da janela do “CAM Processor”, devemos cliar em “File > Open > Job…” e selecionar o arquivo“excellon.cam”. As configurações do “CAM Processor” serão carregadas e, no campo “Output”, devemos alterar o campo “Device” para “EXELLON_RACK” e incluir o arquivo “.drl” que geramos na etapa anterior no campo “Rack”. Por último, basta clicarmos em “Process Job” e será gerado o arquivo gerber de furação com a extensão “.drd”. Também neste caso será gerado um arquivo de anotações do EAGLE com extensão “.dri”.

 

CAM Processor com as configurações carregadas do arquivo “excellon.cam”.
Figura 3: CAM Processor com as configurações carregadas do arquivo “excellon.cam”.

 

Os arquivos gerber gerados podem ser vistos no Control Panel.
Figura 4: Os arquivos gerber gerados podem ser vistos no Control Panel.

 

Agora já temos todos os arquivos necessários para fabricar nossa PCI. Não sei o motivo, mas o EAGLE ainda não possui uma ferramenta para visualização dos arquivo gerber gerados. Existem diversos software para visualização de gerbers. Uma boa sugestão para quem utiliza o Ubuntu é o Gerbv, mas também existem vários outros para Linux, Mac e Windows e também vários sites que permitem a visualização de gerber on line.

 

Visualizando os gerbers gerados com o Gerbv (Ubuntu).
Figura 5: Visualizando os gerbers gerados com o Gerbv (Ubuntu).

 

Acredito que o conteúdo mostrado nesta série de artigos é suficiente para que aqueles que não tem intimidade com ferramentas para projeto de PCIs possa explorar o EAGLE e conhecer melhor suas funcionalidades. Caso tenha alguma dúvida fique à vontade para deixar seu comentário.

 

Bom trabalho!

 

 

Artigos da série “Tutorial EAGLE”

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s