Após eleições Sindipetro-RJ vive a expectativa de um novo tempo


Terça, 02 Maio 2017Acessos: 352

Nova direção afirma que o resultado das recentes eleições refletiu uma vontade de mudança nos rumos da categoria.

 

Imagem: Samuel Tosta

As eleições para nova Diretoria Colegiada e Conselho Fiscal do Sindipetro-RJ vencidas pela  Chapa 2 – Mudar o Sindipetro-RJ   com  uma ampla maioria de 854 votos, o equivalente a 70,23% dos votos válidos , – contra 362 , 29,79% da Chapa 1 – Unidade Para Lutar, revelam uma  nova era de lutas para os  petroleiros cariocas.

“Essa vitória representa a vontade de mudança da categoria. É um novo momento que vivemos para dar uma resposta ao atual governo, como nos governos anteriores, que aplica projetos de privatização, de venda do nosso petróleo e  de ataque aos direitos dos trabalhadores. Por isso, o Sindipetro-RJ precisa ser uma ferramenta eficaz de luta contra todo esse contexto , e o resultado dessas eleições identifica uma vontade de mudança, pois a nossa chapa foi construída a partir de uma grande interação com as bases nos locais de trabalho. Agora nós teremos a responsabilidade de chamar os trabalhadores e a fortalecer o sindicato dos petroleiros nas lutas em defesa da categoria” – disse Eduardo Henrique, integrante  e um dos articuladores da diretoria eleita.

Para Emanuel Cancella, atual coordenador da Secretaria Geral do Sindipetro-RJ, integrante da Chapa 1, prevaleceu a vontade da categoria. “O sentimento é que venceu a categoria com a vontade majoritária dela, assim foi nas urnas e isso precisa ser respeitado. Eu agradeço aos funcionários do sindicato que organizaram o pleito com muita eficácia e transparência. Também não posso deixa de agradecer as forças que fizeram parte da nossa chapa como a Federação Única dos Petroleiros – FUP, CUT, Levante Popular, entre outros. Quero desejar boa sorte aos vencedores, e dizer que estarei acompanhando com atenção a futura gestão. Que tenham sucesso e parabenizo os vencedores” – cumprimentou reconhecendo a legitimidade do resultado.

A importância da interação com a base

Para o Conselho Fiscal a Chapa 2 conseguiu outra expressiva  vitória com 884 votos a favor( 69,72%) contra 384 (30,28%). Com um total de 1.331 votos contabilizados entre 55  em branco e 8 nulos.

Se o trabalho de aproximação com as bases foi fundamental para a vitória da nova diretoria, a responsabilidade de uma atuação mais presente junto aos petroleiros e na defesa de seus interesses vai exigir uma atuação mais contundente do sindicato como afirma um dos interlocutores da chapa vencedora, o petroleiro do EDISE, André Bucaresky.

“Esperamos ter a capacidade de dar a resposta que a categoria espera. O recado foi dado: ela votou na mudança e por um Sindipetro-RJ mais colado na base e que organiza a categoria para lutar de uma forma harmônica com ela. O nosso sindicato precisa voltar a  ser  uma ferramenta  que aja em defesa dos direitos da categoria, na defesa da Petrobrás e para pautar lutas contras essas reformas como Trabalhista e Previdenciária que prejudicam claramente os trabalhadores”

Na defesa dos aposentados e nas lutas contra as opressões

Se a integração com as bases foi primordial no sucesso e vitória da Chapa 2 – ‘Mudar o Sindipetro-RJ’ , não se pode deixar de citar também a importância dos aposentados que tiveram atuação decisiva na composição da chapa e na própria votação.

“Os companheiros associados e pensionistas foram para as urnas e deram o seu voto confiança ao nosso trabalho que desenvolvemos há 15 anos, a partir da Secretaria de Aposentados e Pensionistas do Sindipetro-RJ. Infelizmente numa eleição alguém perde e outro ganha. Por isso, é importante fazer um chamado aos que perderam  para uma união e defesa dos nossos direitos como aposentados e pensionistas, e, claro, na defesa da Petrobrás. E assim  vamos continuar nosso trabalho por mais três anos à frente da Secretaria de Aposentados . Nós vamos fazer o possível e impossível para dar uma nova cara ao sindicato” – conclama o atual diretor da secretaria ,que vai atuar em mais um período,  Roberto Ribeiro que é  petroleiro aposentado.

O debate sobre questões importantes como igualdade de gênero e o combate às opressões no sistema Petrobrás ganha mais destaque com a nova diretoria eleita como afirma Natália Russo, também integrante da chapa vencedora para o triênio 2017-2020.

“O sindicato estava muito afastado dessas bandeiras, só no Rio de Janeiro a presenças de mulheres trabalhando na Petrobrás chega a 35%, uma média maior do que do Brasil todo que é de 17%. Por isso, é necessário que a presença das mulheres na atividade sindical aumente proporcionalmente conforme a esse quadro funcional da empresa no Rio de Janeiro, área de abrangência do Sindipetro-RJ. A nossa chapa é composta por 7 mulheres , cerca de 30%, o que podemos considerar como uma novidade e reconhecimento. É importante frisar que se faz urgente  a  intensificação além da lutas das mulheres, além da defesa de direitos  dos negros, LGBTs, assim como das pessoas que lutam pela defesa da diversidade na Petrobrás, uma empresa que ainda tem praticas de assédio moral na sua gestão” – completou.

A posse da nova Diretoria Colegiada e do Conselho Fiscal, a principio, está agenda para o dia 1º de junho de 2017.

 

Fonte: Agência Petroleira de Notícias – APN

Anúncios