5 movimentos sociais que começaram na internet


internet

De uns tempos pra cá, a maioria das pessoas se tornou mais crítica ou tem mais espaço para parecer mais crítica nas redes socials. As mensagens se espalham e podem gerar polêmicas. Preconceitos são disseminados em um segundo e dominam o noticiário, como foi o caso da jornalista Maria Júlia Coutinho, da TV Globo, na última semana.

Veja 5 movimentos ou manifestações sociais que começaram na internet:

1 – Somos todos macacos

somos todos macacos

Durante um jogo do Barcelona, em 2014, Daniel Alves foi alvo de ofensas racistas por parte dos torcedores. Um deles jogou uma banana no campo e, como forma de protesto, o jogador comeu a fruta e cobrou o escanteio. O astro Neymar saiu em defesa do amigo nas redes sociais com a hashtag#somostodosmacacos. Milhares de famosos e anônimos entraram na onda. Algumas pessoas não aceitaram, considerando a ação ainda mais ofensiva.

2 – Somos Todos Maju

 

somos todos maju

Na semana passada, Maria Julia Coutinho, jornalista que apresenta a previsão do tempo no Jornal Nacional, da TV Globo, foi ofendida por uma minoria em realçao à cor da sua pele. Os comentários racistas geraram revolta de milhares de brasileiros, inclusive do âncora William Bonner, que criou a hashtag #somostodosmaju em um vídeo gravado no celular na sala da redação do programa para defendê-la das ofensas raciais. A hashtag em pouco tempo se espalhou pelas redes sociais com mensagens de apoio e carinho à Maju.

3 – Aprovação casamento gay nos EUA

casamento gay

Após a aprovação do casamento gay nos EUA, o Facebook liberou um filtro para adicionar nas fotos de perfil de quem apoiasse a causa e como forma de comemoração pela conquista. Mais uma hashtag viralizou: #lovewins (o amor venceu) em português. Muitas timelines, com certeza, ficaram cheias de fotos coloridas. Muitos não aceitaram e zombaram da iniciativa, alegando que existem causas mais importantes como: alimentar crianças famintas na África.

4 – Luta pela igualdade das mulheres (Esmalte Risqué, Mimimi)

igualdade mulheres

O ano de 2014 foi cheio de polêmicas na internet, principalmente a luta das mulheres pela igualdade. Marcas falharam ao transmitir suas mensagens. A Risqué, por exemplo, colocou frases de simples atitudes de homens como grandes feitos (“Pedro me ligou”, “André fez o jantar”). As mulheres se manifestaram nas redes para defender que essas atitudes não merecem homenagem, são ações mínimas e as mulheres fazem isso e muito mais todos os dias.

A última foi da Novalfem: a marca associou cólica a “mimimi” (frescuras) na propaganda do remédio Buscofem. A maioria das mulheres sofre com fortes cólicas, dores de cabeça por conta do ciclo menstrual. A mensagem do analgésico gerou indignação por parte de muitas mulheres, que saíram em defesa, alegando que cólica não é mimimi. É uma dor forte.

5 – O Boticário no Dia dos Namorados

boticario dia dos namorados

Parece que o preconceito não para por aí: a marca fez um comercial para o Dia dos Namorados que mostrava troca de presentes entre heteros e gays.Um abraço acontecia no momento da entrega. A marca foi alvo de muitos que são contra a união entre pessoas do mesmo sexo, alegando que isso afronta à família brasileira. A propaganda foi veiculada na TV e logo algumas reclamações surgiram no site Reclame Aqui. Houve até mesmo tentativa de boicote à marca com “deslike” no vídeo do YouTube.
Centenas de memes surgiram na internet com piadas sobre o preconceito, fazendo chacota sobre o “risco” de que consumidores da marca possam se tornar homossexuais. E como se isso fosse um defeito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s