Custo de uma Franquia


Antes de comprar uma franquia, o investidor precisa saber exatamente de quanto dinheiro dispõe e quais serão as despesas totais que terá ao montar uma unidade e começar a operá-la. Para ajudá-lo, listamos abaixo quais são os custos da abertura de uma franquia:

1.Taxa de franquia

Funciona como uma espécie de valor de entrada, porque dá ao franqueado o direito de fazer parte da rede e também de usar a marca da empresa franqueadora. Em muitos casos, a taxa cobre ainda os custos de treinamento inicial que será dado para o próprio franqueado e sua equipe, além de incluir o serviço de apoio da franqueadora à implantação da unidade. Normalmente, a taxa é paga uma vez, na assinatura do contrato, e também na renovação do contrato.

2.Estoque inicial

A maioria das empresas franqueadoras oferece ao franqueado ajuda para montar seu primeiro estoque, listando quais são os produtos que devem compor o portfólio da loja. Elas também indicam que quantidade comprar de cada item e para isso estimam qual é o valor que será gasto com essa primeira compra. No caso de franquias do setor de serviços, o investimento em estoque inicial normalmente não existe ou é bastante reduzido – o que há são gastos com os equipamentos necessários para execução do trabalho.

3.Capital de giro

Como acontece na abertura de qualquer negócio, o empreendedor deve reservar recursos para financiar o dia-a-dia do empreendimento e renovar o estoque até que o negócio consiga se manter com recursos próprios. Essa reserva que assegura o funcionamento da empresa em seus primeiros meses é chamada de capital de giro.

4.Compra do ponto comercial (luvas)

Algumas franquias do setor de serviços, em especial as microfranquias, não precisam de uma loja para operar, já que muitos serviços normalmente são prestados na residência ou na empresa do cliente. Já as franquias que atuam no varejo necessitam de um ponto comercial – e costuma ser muito importante para o sucesso do negócio que a loja seja bem localizada, instalada em uma rua de grande circulação ou mesmo em um shopping center.

Com o encarecimento dos imóveis nos últimos anos, o ponto comercial se tornou uma das principais despesas para quem quer abrir uma franquia. Mas o franqueado deve encará-lo como um investimento imobiliário, já que ele poderá reaver esse dinheiro – e até obter lucro – se conseguir valorizar o ponto e repassá-lo no futuro.

Vale ainda ressaltar que ao pagar as luvas, como se diz no mercado, o franqueado ganha apenas o direito de usar aquele imóvel durante a vigência do contrato. Porém, além de adquirir o ponto, ele também terá de pagar um valor de aluguel mensal – que não está contabilizado no investimento inicial da franquia.

5.Reforma, mobiliário e equipamentos da loja

Depois de alugar o ponto comercial, o franqueado deverá reformá-lo de acordo com as regras estabelecidas pela empresa franqueadora. Também deverá adquirir o mobiliário e os equipamentos prescritos pela franqueadora, para manter o padrão visual de toda a rede e prestar o serviço de acordo com as normas da franquia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s