Como combater o mau odor nas axilas


Publicado em

090407074945-large

Mau odor nas axilas é um problema que causa um desconforto enorme para quem o possui (e para quem está perto, convenhamos) e justamente por isso muitas pessoas permanecem caladas e têm vergonha de buscar soluções, seja com profissionais ou amigos.

Primeiramente, é preciso fazer uma explicação rápida sobre o suor e as glândulas que o produzem, que são as glândulas sudoríparas. Essas glândulas se dividem em dois tipos, as écrinas e apócrinas. As glândulas écrinas são as mais comuns, estão distribuídas por todo o corpo e tem como função regular temperatura corpórea.

Já as glândulas apócrinas estão em partes restritas, como as axilas, virilhas, região ao redor dos mamilos e do ânus. O suor secretado por essas glândulas não tem função de regular a temperatura corpórea, é “oleoso”, não evapora. “As gorduras presentes no suor das glândulas apócrinas são digeridas e transformadas em ácidos voláteis, que apresentam odor forte e desagradável.”, de acordo com o MD Saúde. 

Para abordarmos como o combate ao mau odor pode ser feito, antes é preciso explicar quais fatores podem contribuir para o problema. Confira:

Possíveis causas para o mau odor nas axilas

  • Limpeza inadequada: se você não higieniza adequadamente a área, obviamente ela ficará mais propensa à proliferação de bactérias. Pelo menos uma vez ao dia, use uma esponja vegetal bem macia (com um pouco de sabonete) para massagear suavemente as axilas. Caso você vá se depilar com lâmina naquele dia, evite a esponja (pois poderá sensibilizar a pele). Higienize a lâmina posteriormente, sempre.
  • Reutilização de roupas: quem sua excessivamente ou tende a ter mau odor nas axilas não deve repetir roupa usada, pois após o uso algumas bactérias podem se proliferar no tecido e contribuir para o problema.
  • Alimentos que acentuam o mau cheiro: embora ainda não haja um consenso, alguns médicos apontam que a ingestão exagerada de certos alimentos, tais como alho, cebola, peixe, curry, fast foods, pimentas e outras iguarias podem piorar o mau cheiro. Pesquisas também demonstraram que comer carne vermelha pode alterar negativamente os odores corporais, deixando-os mais intensos em comparação a dietas sem carne. O álcool também pode ser um vilão na história.
  • Pelos em excesso: na maioria dos casos, a presença de pelos nas axilas acentua a proliferação de bactérias e agrava o mau odor.
  • Sabonetes bactericidas convencionais: teoricamente, usar sabonetes bactericidas convencionais parece uma boa saída para combater o problema, mas não necessariamente. Além de, na maioria das vezes, não serem eficazes no combate às bactérias, esses sabonetes contém ingredientes, tais como o triclosan, que além de oferecerem danos à saúde a médio e longo prazo, acabando selecionando as bactérias mais resistentes e piorando o odor.
  • Estresse e sobrepeso: o estresse intensifica a transpiração e, com isso, contribui para a proliferação de bactérias ao deixar a região das axilas muito úmida. Não é uma regra, mas pessoas acima do peso tendem a transpirar mais que pessoas abaixo ou dentro do peso adequado, e o suor agrava o problema.
  • Tecidos inadequados: tecidos que abafam demasiadamente a região das axilas e não permitem a evaporação da umidade criam um ambiente úmido, quente e adequado para a ação das bactérias.
  • Alterações hormonais e medicamentos: se todos os itens acima não se aplicam ao seu caso, pode ser que o problema seja alguma medicação ou alteração hormonal, que podem alterar os odores do corpo. Se informe com o seu médico!

A partir das causas é possível apresentar algumas soluções possíveis. Veja abaixo:

Combatendo o mau cheiro nas axilas

  • Use sabonetes bactericidas 100% naturais: além de serem gentis com o corpo e com o meio ambiente, os óleos essenciais e ativos vegetais presentes nesses produtos evitam a proliferação de bactérias. Procure sabonetes que contenham ingredientes como melaleuca (tea tree), própolis, neem, lavanda, cravo, canela, alecrim, sálvia, ingredientes naturais com ação antisséptica, bactericida e fungicida de um modo geral. Marcas como a Sal da Terra, Sachi eCativa Natureza oferecem ótimos produtos nesse sentido.
  • Lave as roupas após o uso: de preferência, use sabões naturais, com os ingredientes citados anteriormente. Após a lavagem, ao passar a roupa, se o tecido permitir e não for trazer nenhum prejuízo, passe o ferro por alguns segundos, em temperatura quente, na área das axilas. Ajuda a eliminar as bactérias.
  • Alimentação contra o odor: beba bastante água, elimine a carne ou no mínimo diminua o seu consumo, evite fast foods, excesso de alho, cebola e outros alimentos que acentuam odor corporal. Tenha uma dieta balanceada e invista em alimentos ricos em clorofila (couve, repolho, espinafre, brócolis, alface, kiwi, vegetais de cor verde em geral), pois são excelentes desodorizantes.
  • Mantenha as axilas depiladas ou com o mínimo de pelos
  • Evite o sobrepeso: pratique atividade física aeróbicas (correr, caminhar, dançar, andar de bike, subir/descer escadas, etc) e musculação ao menos 3 vezes por semana para evitar o acúmulo de gordura corpórea e manter uma rotina saudável. Evitar doces, alimentos gordurosos, refrigerantes também faz parte do processo.
  • Tente afastar o estresse: é natural se estressar com algo que não te agrada, faz parte. No entanto, quando isso toma grandes proporções e afeta sua vida (e até sua saúde) de um modo geral, é hora de tomar providências. Yoga, meditação, prática de atividade física regular, restringir alimentos estimulantes (café, chá preto, chocolates, refrigerantes, energéticos, gengibre, etc), ajuda profissional de um psicólogo – tudo é válido para combater o estresse.
  • Escolha tecidos leves: tecidos como algodão, renda ou qualquer um que absorva bem a umidade e/ou permita que o suor da axila seque facilmente são as melhores escolhas.  
  • Receitas caseiras: muitas receitas caseiras com ingredientes naturais são uma ajuda a mais no combate ao mau odor. Solução concentrada de bicarbonato de sódio, vinagre, limão (só não use antes de sair do sol, claro!), leite de magnésia… Desde que não seja nenhuma receita mirabolante e sem noção (tipo umas aí que indicam CREME DENTAL nas axilas), que possa te fazer algum mal, tudo é válido.

Cuidado com as químicas dos desodorantes/antitranspirantes convencionais!

Primeiro de tudo é preciso desfazer o senso comum: não é o suor que causa o mau cheiro, mas sim as bactérias que se proliferam em áreas onde ele é mais abundante (interior das coxas, axilas, pés). A busca incessante por desodorantes e antitranspirantes que deixem a pele completamente seca não só pode ser prejudicial à saúde como é praticamente inalcançável: suar é um mecanismo natural e necessário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s