Como reconhecer os sinais e sintomas de excesso de treinamento


Em termos genéricos, a síndrome do excesso de treinamento (overtraining syndrome) pode ser descrita como a resposta do corpo humano para a incapacidade física ou mental para se recuperar do treinamento. Uma recuperação correta é a base para todos os aumento…s nas performances físicas. Para o atleta, o excesso de treinamento se manifesta como uma espiral descendente de preparação física, desempenho atlético ou motivação. Nos casos mais graves, o atleta pode sofrer lesões agudas ou crônicas e podem ter que deixar o esporte por completo devido a essas lesões, frustração ou uma grave falta de motivação.

Para os incautos treinadores ou atleta, os primeiros sinais de excesso de treinamento podem ser mascarados até que uma real queda de desempenho seja notada. A primeira reação a uma queda no desempenho é aumentar a intensidade e a duração do treino. Quando a síndrome de excesso de treinamento é detectada, o aumento do treino terá o efeito oposto em re-estabelecer previamente os níveis de desempenho. O corpo humano é uma espantosa peça de maquinaria. Uma das suas muitas propriedades únicas é um conjunto de disjuntores e mecanismos de resposta que dão uma justa advertência de que as coisas simplesmente não estão bem. Como uma espécie de sistema de alerta precoce para proteger os atletas de si mesmos. Segue lista de sinais e sintomas para procurar e como você pode reverter a queda de desempenho.

Sintomas de Desempenho

Um marco são ocorrências passadas ou atuais de níveis de desempenho que podem diminuir ou nivelar. Um olhar mais atento às características individuais de desempenho pode revelar algumas pistas, mas esses são sintomas de problemas subjacentes que podem ser fisiológicos, psicológicos ou biológicos.

1. Desempenho ano após ano mostram incidentes de alta até o meio da temporada e terminando antes da época pós-competição.

2. Ganhos de força podem ficar os mesmos e até mesmo cair.

3. Diminuição de habilidades biomecânicas e motoras, incluindo equilíbrio, técnica, agilidade e movimento coordenado.

4. O desempenho é limitado devido a dor crônica ou aguda durante a competição.

5. Tempos de desempenho mais lento ou níveis mais baixos de intensidade e de duração mais curta durante a competição.

6. O treino é marcado por incidentes de baixa intensidade e lesões recorrentes.

7. O pico de desempenho só pode ser visto depois de longos períodos de descanso e recuperação.

8. Incidentes de total exaustão e períodos mais longos de recuperação depois de competições.

Sintomas fisiológicos

Existem sinais de que o organismo está reagindo ao excesso de treinamento. Aqui estão alguns exemplos.

1. Perda de peso. Mais comum em atletas e praticantes de esportes como luta livre e boxe onde a má nutrição é parte da cultura do esporte. Perda de peso involuntária pode significar uma redução da massa muscular, que nunca é uma coisa boa.

2. O aumento ou a diminuição da freqüência cardíaca descansando. É mais comum para os atletas com excesso de treinamento mostrar um aumento na freqüência cardíaca em repouso, mas atletas em excesso de treinamento podem ter freqüência cardíaca de repouso que são mais lentas que o normal. A melhor época para testar a sua freqüência cardíaca de repouso é imediatamente depois de acordar pela manhã.

3. Diminuição de limiares aeróbicos, anaeróbicos e lactado. Você pode perceber isto de cima para baixo, com limiares lactados mais baixos e menores durações de intensidade. Mas o seu nível basal de aptidão aeróbica pode ser a causa, uma vez que essa é a base do corpo do GPP (Preparação Física Geral). Excesso de treinamento do caminho de energia aeróbica pode causar menor limiar lactado e anaeróbico.

4. Fadiga e fraqueza muscular. Limiares de lactado trazem fadiga muscular mais rápido, enquanto que a fraqueza muscular pode ser resultado da retração da massa muscular.

5. Dor ou inflamação aguda ou crônica nos ligamentos ou articulações. Micro rompimentos no tecido muscular e inflamação são inevitáveis nas atividades diárias, bem como treinamento e competição. Sintomas de dor e inchaço não são sempre presentes, mas podem silenciosamente diminuir níveis de resistência e desempenho.

6. Diminuição da resposta do sistema imunológico. Já foi documentado que longos períodos de treino intenso abaixam a resposta do sistema imunológico. Treinamento intenso aumenta os níveis de hormônio do estresse, cortisol, que é conhecido por sufocar o sistema imunológico.

7. Perda de massa muscular. O músculo exige períodos coordenados de descanso para se auto-reparar e uma alimentação correta para aumentar a formação dos tecidos. Tire a alimentação correta, ou o descanso e você acabará canibalizando o músculo.

Sintomas psicológicos

Incidentes de depressão aguda ou crônica e falta de motivação mostram-se em uma ampla gama de sintomas que podem incluir uma ou mais das seguintes características.

1. Aumento da frustração em relação ao desempenho e perda de confiança.
2. Aumento da irritabilidade.
3. Baixa auto-estima.
4. Pensamentos de desistir.

Sintomas biológicos

O corpo humano é carregado com respostas químicas e biológicas. Aqui estão algumas das reações químicas que ocorrem quando excesso de treinamento acontece.

1. Diminuição da ATP, devido à falta de armazenamento de glicogênio nos músculos.
2. Aumento na produção do hormônio do estresse, cortisol.
3. Aumento no número de glóbulos brancos (evidência de infecção ou diminuição do sistema imunológico).
4. Desidratação afeta a viscosidade sangüínea, o correto funcionamento órgão, a distribuição de nutrientes e de vários outros problemas. A diminuição dos níveis de suor mascaram o desvio de fluidos para esfriar e proteger órgãos vitais.

Lutando de volta – os três R’s de recuperação. Os próximos 3 passos são alguns exemplos de possíveis métodos de recuperação.

Método estático de recuperação. O método mais comum e mais fácil de implementar. Ele tem três partes.

1. Repousar. E eu digo total repouso. Não só é necessário repouso para a recuperação nos ciclos de treino mais curtos (3 a 7 dias), mas períodos mais longos de descanso são necessários dependendo do esporte, d intensidade do treino e nível de competição. Seu corpo precisa de tempo para curar o dano feito durante o treinamento físico (micro rupturas e inflamação muscular), diminuição da resposta do sistema imunológico e pressões emocionais da competição.

2. Reabastecer. A proteína é o alicerce necessário para o crescimento e manutenção muscular. Carboidratos são a única forma de substituir os estoques de glicogênio. Só descansar não vai substituir o glicogênio. As estratégias de nutrição adequada variam de esporte para esporte e estão facilmente disponíveis em muitos sites, como o reputado USDA. Encontre o regime de nutrição certo para você e siga-o à risca.

3. Re-hidratar. Mesmo antes da primeira manifestação de sede aparecer, você já está desidratado. O nível de desidratação de apenas 2% pode diminuir o desempenho em 10% ou mais. A desidratação pode afetar a transferência de nutrientes e oxigênio para as células, a função de órgãos vitais e a regulação da temperatura corporal. Você não pode se recuperar plenamente de um treino intenso, sem a água apropriada nas células. A água serve para uma desidratação leve, mas uma bebida esportiva contendo sal e carboidratos é necessária quando um treino intenso apela para reposição eletrolítica.

Afunilar. Um treino afunilado é um mecanismo usado antes da recuperação pós-temporada ou competições chave para ajudar os atletas a descansar e reduzir a inflamação, dor e aumentar os estoques de glicogênio muscular. Ele pode até mesmo ajudar a levantar limiares lactados, permitindo que o corpo construa as suas células de queima de combustível conhecidas como mitocôndrias. Uma forma de treino afunilado utiliza uma redução sistemática na duração da formação ou de intensidade (entre 20 e 50% do máximo) ou ambos. Ainda uma outra forma usa intensidade muito alta com duração menor

Periodização. Primeiramente utilizado na Grécia antiga e aperfeiçoada na antiga União Soviética, a periodização de treino é destinada a estimular os ganhos de desempenho continuamente variando rotinas, intensidade e duração. Muitos protocolos de treinos de periodização começam de baixo para cima com um ciclo aeróbico; seguido por aumentos em intensidade e duração do treino e terminando com o esporte de formação técnica específica. Os russos e países do Leste, no entanto, fizeram uma pesquisa mais detalhada e tiveram um maior sucesso utilizando um sistema de periodização que começou com um treino do esporte específico e fase técnica seguida por uma fase de treino aeróbico e anaeróbico de fitness e força.

————

ARTIGO PUBLICADO ORIGINALMENTE NO BLOG BIOQUÍMICA DO EXERCÍCIO

*agradecimentos ao Dr. Marcio Cunha

* DR. MARCIO CUNHA, FISIOTERAPEUTA, MEMBRO DA (ABTM) ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TERAPIA MANUAL, MASTERY CERTIFICATION IN MANUAL THERAPY PELA HANDS ON SEMINARS NEW YORK, FORMAÇÃO EM QUIROPRAXIA CLÍNICA PHYSION-ABRAFIQ. ATUALMENTE SE DEDICA A FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM BIOMECÂNICA DA ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE.

Um comentário sobre “Como reconhecer os sinais e sintomas de excesso de treinamento

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s